Sociedade

CORONAVÍRUS

Governo Leite contrata pet-shop para fabricar testes para o coronavírus no RS

sexta-feira 10 de abril| Edição do dia

O governo do Estado do Rio Grande do Sul, em meio à crise sanitária da COVID-19, contrata um pet-shop para realizar a fabricação de teste para o vírus. Segundo o The Intercept Brasil, o primeiro estabelecimento fora do arrojo estadual a fabricar os testes, sem a realização de uma licitação, estabeleceu um convênio de seis meses que pode gerar um lucro de até 8 milhões de reais para a Agropecuária Machado, um pet-shop localizado na cidade de Pelotas, o qual, a secretaria de Saúde, Arita Bergmann, chamou de um “laboratório de excelência”, que tem o diferencial de “ter os reagentes necessários para o exame”. Porém, as atividades laboratoriais da agropecuárias foram registradas perante a Receita Federal apenas três dias depois da aprovação do contrato no dia 06 de Abril.

Com a promessa de fabricar em média 250 testes por dia por R$ 175 cada, desde a formalização do contrato, nenhum teste foi realizado, e nem informada qual dos testes serão fabricados, tendo disponibilidade de dois: um teste rápido que age detectando anticorpos, mais barato, que têm 75% de margem de erro, e outro o RT-PCR, que detecta com base no DNA que tem um valor mais alto.

O dono da Agropecuária Toni Machado é Bolsonarista declarado, tendo inclusive uma foto com bolsonaro em suas redes sociais, e comemora o contrato estabelecido com o governo do Estado. Em entrevista a um jornal local, o diretor da vigilância em Saúde de Pelotas, Franklin Mendonça de Souza Neto relata que o próprio dono o procurou se colocando disponível para confeccionar os testes e ele mesmo contatou a secretaria do Estado. Sendo ele mesmo junto com a delegada da 3º coordenadoria de Saúde do Estado, Caroline Torres Hoffman, que realizaram a averiguação do laboratório e do estabelecimento e aprovaram a qualidade dos serviços da Agropecuária, nenhum dos dois teriam a formação necessária para tal averiguação.

O atual governador do Estado, Eduardo Leite, foi prefeito da cidade de Pelotas de 2013 a 2017 contando com a mesma Arita Bergmann como sua secretaria municipal de Saúde. Na época a administração entrou em um escândalo sem precedentes com os exames de 25 mil mulheres de prevenção ao câncer de colo do útero. Uma fraude que colou muitas vidas de mulheres em risco, e totalmente escanteado ao grande público.

Com um número de teste que não são o bastante para realizar uma testagem ampla na população do Rio Grande do Sul, os que estão previstos poderão não serem realizados por laboratórios qualificados. Segundo especialista, para realizar o teste RT-PCR, é necessário um extrator de DNA que tem o valor de 400 mil reais, este sendo o teste que está previsto para ser fabricado pelo pet-shop. O Governo fala que a vigilância sanitária averiguou o espaço, e que a LACEN ( Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul) realizou um treinamento com a equipe que fabricará os testes.

Além disso, fora estabelecido uma parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul para a fabricação de 500 testes, reiterando que conseguiria realizar 160 testes por dia com em médio o valor de R$120 reais cada. O estado deveria virar toda essa estrutura já preparada para a produção destes testes, que se mostram incapazes de fornecer dados fidedignos, colocando em perigo a vida de várias pessoas sem ter essa precisão.

Por último, é necessário que sejam produzidos testes massivos, para absolutamente todos os profissionais de saúde do estado, dos trabalhadores dos serviços essenciais (como limpeza urbana, transporte, indústrias voltadas ao combate do corona), bem como para a população. A produção industrial deve ser reconvertida para produzir em função do combate ao coronavírus, com as metalúrgicas fabricando máquinas respiratorias, têxteis produzindo EPI’s e o transporte em função da saúde. Ou seja, a classe trabalhadora dar uma saída que nem Bolsonaro nem os governadores ou prefeitos vem conseguindo dar para a crise do coronavírus no país.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Porto Alegre   /    Sociedade   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar