Sociedade

TRAGÉDIA EM MINAS GERAIS

Gigantes da mineração são responsáveis pela tragédia em Minas Gerais

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

sábado 7 de novembro de 2015| Edição do dia

Ao longo desta sexta-feira,6, milhares de notícias nacionais e internacionais reportaram a tragédia causada pelo rompimento das barragens do Fundão e Santarém, da mineradora Samarco, joint venture de parceria entre a multinacional australiana BHP e a Vale, a gigante brasileira beneficiada pelo BNDES ao longo dos governos Lula e Dilma.

O corpo de bombeiros declarou haver uma morte e treze desaparecidos. Já o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria e Extração de Ferro Metais Básicos de Mariana, Metabase, declarou haver 15 ou 16 mortas e 45 desaparecidos.

A tragédia, que devastou o distrito de distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, já atinge outros cinco distritos: Águas Claras, Paracatu, Pedras, Fonte do Gama e Camargos. Como aparece em vídeos amadores, a lama de dejetos da mineração já alcançou o Rio Doce, na Zona da Mata e especialistas apontam que em breve alcançará o estado do Espírito Santo.

Grande parte dos trabalhadores que seguem desaparecidos são da empresa terceirizada Integral, que presta serviço para a Samarco. Como mostramos aqui e aqui, trabalhadores da empresa já haviam alertado sobre os riscos envolvendo a Barragem do Fundão. Na contramão desse alerta, a mineradora afirmou que houve fiscalização em julho deste ano no conjunto de barragens no município de Mariana e encontrava-se em "total condição de segurança".

Segundo procurador da Promotoria de Meio Ambiente, cogita-se revogar a licença de operação da Samarco, uma vez que há suspeitas de que as licenças estão sendo concedidas pela administração estadual sem que técnicos avaliem o local pessoalmente. Fernando Pimentel, governador petista de Minas Gerais que visitou a região, já havia defendido em evento do Ibram (Instituto Brasileiro de Mineração) flexibilização dos licenciamentos para as mineradoras: "Em Minas Gerais nós temos uma situação complicada na área de regulação. Os licenciamentos são muito lentos, que exigem muitas vezes procedimentos quase punitivo do licenciado".

Porém, quem é realmente punido num governo a serviço dos capitalistas e das mineradoras como o governo petista de Pimentel, é a população e os trabalhadores de uma cidade coberta de lama de dejetos. Assim como o governo petista de Minas Gerais, o governo federal de Lula e Dilma foi o que permitiu os lucros enormes da gigante Vale por via de empréstimos privilegiados via BNDES e a espoliação das riquezas nacionais por empresas multinacionais como a BHP. As mineradoras sugam nossas riquezas, matam e devastam com sua sede de lucro. Essa é a marca da atual tragédia.

Se as grandes mineradoras da parceria Samarco são responsáveis, o principal cúmplice é o governo de Fernando Pimentel que junto ao governo petista garante o balcão dos negócios desses capitalistas, aprofundado com o atual plano de ajustes que é descarregado contra os trabalhadores e a população.

Uma apuração organizada pelo sindicato e organizações de base dos trabalhadores e moradores, de forma independente dos interesses das mineradoras e das gigantes nacionais e internacionais, é a única que poderá conhecer as reais causas da tragédia que já vinha sendo alertada.

Na foto, o Governador Fernando Pimentel (PT) em área inundada pelo rompimento de barragens em Mariana. Crédito: Imprensa/MG




Tópicos relacionados

Tragédia em MG-ES   /    Sociedade   /    Belo Horizonte

Comentários

Comentar