Sociedade

OCUPAÇÕES

Frente de Luta por Moradia promove ocupações em São Paulo

terça-feira 14 de abril de 2015| Edição do dia

São Paulo (EFE) - Pelo menos 16 edifícios que estavam abandonados foram ocupados nesta segunda-feira por centenas de famílias que compõem a Frente de Luta por Moradia (FLM). As ocupações ocorreram durante a madrugada em bairros do centro e do leste de São Paulo.

Militantes do movimento denunciaram que houve repressão por parte da Polícia Militar durante algumas ocupações. Segundo a FLM, uma senhora de 62 anos ficou ferida por um estilhaço de bomba jogada pela PM.

"Estamos fazendo uma série de ocupações em imóveis que juridicamente estão registrados como abandonados, que não têm função social. Inclusive há estrangeiros vivendo legalmente no Brasil que não têm condições de pagar um aluguel", disse Carmen Ferreira da Silva, dirigente do FLM, aos jornalistas.

O FLM surgiu em 2003 e é filiado a Central de Movimentos Populares (CMP). O movimento reivindica uma maior ampliação e flexibilidade para que as pessoas das periferias possam ter acesso aos imóveis ociosos nos centros urbanos do Brasil. Se coloca no campo de defesa do governo federal do PT e adota uma estratégia reformista, mesclando ocupações com a participação na elaboração de políticas publicas para o setor de moradia.

Nesse sentido, os integrantes do FLM reivindicam ser incluídos no programa de moradia popular Minha Casa Minha Vida que leva adiante a presidente Dilma Rousseff.

O movimento afirma que entre suas fileiras existem cerca de duas mil famílias que necessitam de alojamentos.O FLM já ocupa 44 imóveis na cidade de São Paulo.

Boa parte dos integrantes dessas ocupações são trabalhadores precarizados. Além disso, especulação imobiliária afeta não só aqueles que não possuem moradia, mas boa parte da classe trabalhadora que sofre com os escandalosos valores dos aluguéis. Neste sentido, ainda que mantenham diferenças com as posições políticas dos grupos que impulsionam tais ocupações, é fundamental que os trabalhadores prestem solidariedade às lutas por moradia. A aliança entre trabalhadores e movimentos sociais é fundamental para fazer frente aos patrões e seus governos.




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar