DENÚNCIA

Filho de empregada doméstica morre ao cair do 9º andar por descaso da esposa do prefeito de Tamandaré

Por descaso da esposa do prefeito de Tamandaré, o filho de sua empregada doméstica, de 5 anos, caiu do 9° andar do prédio Pier Maurício de Nassau, nesta terça-feira, enquanto a mãe da criança passeava com os cachorros da patroa.

quinta-feira 4 de junho| Edição do dia

Nesta terça-feira, dia 3, Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, faleceu ao cair do 9º andar do prédio em que sua mãe trabalhava como empregada domestica. A criança estava sob cuidado de Sarí Gaspar Côrte Real, esposa do prefeito de Tamandaré, em Pernambuco.

A mãe do garoto teve que levar seu filho para o trabalho, pois não teria com quem deixá-lo. No momento em que ela passeava com o cachorro de sua patroa, Miguel sentiu muita falta da mãe foi procurá-la. Tentou uma primeira vez sair do apartamento, mas foi impedido pela mulher do prefeito Sérgio Hacker. Logo depois, como pode ser visto em gravações das câmeras do prédio, a criança entrou novamente no elevador é possível ver a patroa apertando o botão e liberando a porta. Miguel vai parar no 9º andar, local em que não havia nenhuma rede de proteção. O garoto foi avistado gritando pela sua mãe, provavelmente por tê-la visto na rua, e caiu do prédio. De acordo com o perito André Amaral, Miguel estava em uma área onde ficam os condensadores dos ar-condicionados do prédio, no hall das máquinas.

Ver essa foto no Instagram

JUSTIÇA POR MIGUEL | Ontem, Miguel de 5 anos, faleceu após cair de uma altura de 35 metros, em prédio nobre de zona central em Recife. A criança, filho de Mirtes, estava com a mãe, empregada doméstica, no apartamento de família rica de Recife onde trabalhava. A pandemia, que obriga muitas mães a passarem situações como de Mirtes, e o racismo e descaso da patroa causaram a morte de Miguel. As imagens divulgadas pela Tv Jornal das câmeras internas do elevador, mostram Miguel entrando no elevador e, alguns minutos depois, a patroa aperta um botão no elevador de um andar mais alto que seu apartamento. Minutos depois, Miguel desce no andar onde iria se desequilibrar e cair. O descaso da patroa, o racismo próprio dessa burguesia escravocrata, levou a morte de mais uma criança, que teve sonhos e projetos arrancados. Justiça para Miguel! #justiçapormiguel #miguelotavio #racismo #recife #nordeste #criança #infância #juventudenegra #juventude #notícias #notícia #racismoestrutural #pandemia #covid19

Uma publicação compartilhada por Esquerda Diário (@esquerdadiariooficial) em

A esposa do Prefeito, Sarí Gaspar Côrte Real, foi autuada por homicídio culposo, por ter agido com negligência, porém, após pagar fiança de R$ 20 mil, responderá em liberdade. A imprensa vem noticiando o caso de forma a preservar a identidade da mulher do prefeito, como se, por ser esposa de uma autoridade do executivo, ela não devesse ter este absurdo que cometeu ligado à sua imagem.

Além de ter que trabalhar em meio à uma pandemia que faz dezenas de milhares de mortos, tendo que expor seu filho e a si mesma ao risco real de contaminação, a patroa não teve nem a preocupação mínima com a vida do filho de sua empregada, que estava ali para limpar a casa, cozinhar comida e fazer as demais tarefas domésticas.

Esse acontecimento absurdo revela mais uma vez o quanto para a burguesia brasileira as vidas negras e pobres não valem nada. Enquanto Miguel perdia sua vida caindo do topo do prédio, a esposa do prefeito estava em casa com uma pessoa que era provavelmente sua manicure.

Miguel tinha 5 anos, era negro, pobre e morreu por negligência da patroa de sua mãe. Vidas negras importam. Não esquecemos, não perdoamos.




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    Racismo   /    [email protected]

Comentários

Comentar