Gênero e sexualidade

#JUSTICAPORTHAISHIPOLITO

Feminicídio: trabalhadora é esfaqueada por ex-companheiro em parada de ônibus em Porto Alegre

Em mais um ato asqueroso de machismo, trabalhadora da saúde é vítima de tentativa de feminicídio por ex-companheiro que simula assalto e a esfaqueia na parada de ônibus.

quarta-feira 5 de maio| Edição do dia

Foto: Faca apreendida pela Polícia Civil

Na manhã deste último domingo (02), uma trabalhadora da saúde sofreu uma tentativa de feminicídio em Porto Alegre. A enfermeira Thais Hipólito, foi esfaqueada na parada de ônibus ao sair do seu trabalho no Hospital Santa Ana. O suspeito é seu ex-companheiro que teria a abordado simulando um assalto e deu diversos golpes de faca nela. A mulher reconheceu o agressor na hora e ainda lutou para se defender. Após testemunhas verem o ocorrido e tentarem ajudá-la, o homem fugiu.

Thais foi internada em estado grave no hospital, onde foi intubada devido a lesões severas no pulmão e no diafragma. Ela passou por cirurgia onde vem se recuperando bem. O agressor foi encontrado na cidade de Balneario Pinhal, a 120 km da capital durante a madrugada de segunda. Depois que o homem fugiu, um deles ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Quem atendeu a ligação do Samu foi a irmã da vítima de agressão, que trabalha no serviço de atendimento. Além de acionar o socorro, ela depôs na Polícia Civil dizendo que o homem vinha ameaçando a irmã para não pagar pensão alimentícia aos filhos do casal. Ela também levantou uma hashtag nas redes sociais exigindo justiça por sua irmã.

Nós do Esquerda Diário nos solidarizamos com Thais e seus familiares, e repudiamos totalmente esse ato asqueroso e de violência contra a mulher devido ao machismo que no Brasil mata a cada 7 horas uma mulher por feminicídio. Em plena pandemia, testemunhamos um recorde dos casos de violência doméstica e de feminicídios, trajetória que acompanha o crescimento em meio ao governo misógino de Bolsonaro.

#justicaporthaishipolito




Tópicos relacionados

violencia sexual   /    Mulheres   /    Feminicídio   /    Porto Alegre   /    Mulher   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar