×
Rede Internacional

PÓS 29M E RUMO AO 19J | Faísca UnB convida: É possível derrotar Bolsonaro e Mourão?

Quase metade das universidades federais não tem verbas para fechar o ano de 2021. Trata-se de um ataque sistemático à educação pública a partir da Lei Orçamentária Anual (LOA) aprovado por Bolsonaro e sancionada pelo Congresso Nacional. Diante de uma gestão genocida da pandemia, das reformas ultraneoliberais e privatizações, a juventude foi à luta no 29M. Precisamos discutir o mais amplamente possível como fortalecer as mobilizações, quais os próximos passos pós 29M e rumo ao 19J, não podemos parar por aqui! Participe nesta quinta às 17h.

terça-feira 8 de junho | Edição do dia

A UnB já não possui verbas para investimento, ou seja, não há mais dinheiro para investir na pesquisa, extensão e inovação da universidade. Houve também um corte de 4,6% das despesas ligadas à bolsas de pesquisa, assistência estudantil e pagamento das empresas terceirizadas.

Bolsonaro-Mourão, junto do Congresso, dos militares, STF; governadores como Ibaneis, que militarizam escolas públicas juntos para descarregar a crise nas costas da juventude trabalhadora, negra, periférica e LGBT.

Esses ingredientes, somados a gravidade da crise sanitária e econômica, que ameaçam a população de conjunto, fizeram com que a juventude fosse a ponta de lança para desatar a passividade construída pela campanha do "fica em casa" e pelas próprias direções burocráticas do movimento sindical e estudantil. Já que longe de uma preocupação sanitária, em que poucos tiveram, de fato, acesso a condições para a quarentena, a campanha se constituiu numa contenção à tomada das ruas.

Desde a preparação para o dia 29M, nós, da juventude Faísca, batalhamos em cada local de estudo para que nas assembleias se expressasse a base dos estudantes, tendo o direito a voz e voto, para que fossem eles os protagonistas da luta. Agora é necessário darmos mais um passo na auto-organização do movimento, defendendo novamente as assembleias de base, junto com a eleição de um comando nacional com representantes votados em cada universidade para articular as demandas e a luta de todas as universidades.

Pode te interessar: EDITORIAL MRT: 5 pontos para potencializar a mobilização com a força do 29M

Uma batalha fundamental, junto da necessidade que segue vigente de unir estudantes e trabalhadores para assim massificar a luta pelo Fora Bolsonaro, Mourão e os militares, pois são os mesmos inimigos que atacam a juventude e os trabalhadores. As centrais sindicais, diferente do que fizeram no dia 29 em que atuaram para separar a luta, devem convocar uma paralisação nacional que se tornaria um enorme ponto de apoio para conquistarmos nossas demandas que não podem se restringir a política do impeachment, derrubando Bolsonaro, e substituindo pelo reacionário Mourão.

As aspirações e a energia da mobilização da juventude não pode ser canalizada para dentro do regime, seja na expectativa da CPI, do impeachment ou aguardando por 2022 e as eleições. A juventude sonha com mais!

São essas ideias que chamamos a todxs para debater no dia 10, as 17h, via reunião virtual. Nos envie uma mensagem para o número (61) 99903-2711, para ter acesso o link e construir conosco uma grande mobilização!

Pode te interessar: Dois caminhos depois do #29M: atos de desgaste eleitoral pró-Lula ou radicalizar a luta?




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias