×

Podcast Espectro do Comunismo | Espectro do Comunismo: Hungria 1956, revolução operária e socialista contra o stalinismo

No quinto episódio do podcast Espectro do Comunismo, Marcelo Tupinambá, do Conselho Editorial do Esquerda Diário, entrevista Philippe Alcoy, editor da seção internacional do diário Révolution Permanente na França e Elizabeth Yang, fundadora do PTS, partido irmão do MRT na Argentina e colunista da sessão de cultura do La Izquierda Diario sobre a Revolução Húngara de 1956.

segunda-feira 3 de janeiro | Edição do dia

A partir de um resgate histórico e de inúmeros relatos e fontes de grande processo, busca-se reafirmar o caráter operário e socialista da Revolução Húngara, contra toda forma de ataque e falsificação que tanto stalinistas quanto imperialistas tentam fazer de seu legado. Reafirma-se as tendências de auto-organização dos trabalhadores e de um programa de varrer a burocracia stalinista, preservando as conquistas da expropriação da burguesia, abrindo caminho para a construção do verdadeiro socialismo, apontando o caráter profundamente progressista desse processo, esmagado a força pela invasão de tropas soviéticas para preservar o poder da burocracia.

A Revolução Húngara foi derrotada militarmente pela URSS com 200 mil soldados, em uma intervenção militar que traz uma riqueza de lições sobre a resistência operária e estudantil, o papel das forças armadas e o papel nefasto da burocracia do Kremlin. Após a derrota da Revolução, a URSS colocará no poder Janos Kadar, que governou a Hungria até a levar a frente a restauração do capitalismo.

Pode te interessar: Hungria: uma revolução operária e socialista contra o stalinismo

A Revolução dos Conselhos foi um dos mais avançados exemplos do que Trótski definiu como uma "Revolução Política", levada a cabo espontaneamente pela classe trabalhadora e as massas húngaras, e em alguns outros países do Leste Europeu. Trata-se de um processo de luta contra a burocracia governante, mas com um programa oposto à restauração do capitalismo. Com a ausência, entretanto, de uma direção revolucionária consequente, capaz de colocar claramente e levar a frente as tarefas revolucionárias, a revolução é esmagada pelo exército soviético antes de ter qualquer chance de se estabelecer. As lições desse processo seguem vigentes, não apenas para pensar a história da URSS e do século XX, mas para os desafios atuais da luta revolucionária.

Confira o episódio na íntegra:




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias