Internacional

CENSURA

E se o espelho da Globo se quebrar? Trabalhadores de TVs chilena denunciam censura

Não é segredo como o Chile era um modelo para a burguesia brasileira. Mas seu espelho está quebrado. As medidas neoliberais geraram ódio. E até mesmo a liberdade de imprensa é denunciada como inexistente. E agora, Chicago Boys e herdeiros de Roberto Marinho, como fica?

sábado 26 de outubro| Edição do dia

Não somente para o reacionário Bolsonaro o chile era um modelo. Era um modelo para Guedes de como implementar um brutal neoliberalismo, mas seu sonho se tornou seu pesadelo -> http://www.esquerdadiario.com.br/O-sonho-de-pais-capitalista-para-Guedes-era-o-Chile-se-tornou-seu-pesadelo]. Era também um exemplo para FHC, para a Globo. O medo diante do Chile é um medo mais amplo, do retorno da luta de classes, e marca um caminho, lições de luta pela auto-atividade das massas, de superar os limites impostos pelas burocracias sindicais de conter-se ao permitido por regimes herdeiros da ditadura, ou pactuados com os militares e que implementam brutais ataques contra os trabalhadores. Do Chile à uma profusão de lições a extrairmos para como enfrentarmos Bolsonaro, os golpistas e todos capitalistas em nosso país, como expressamos no editorial de 21/10.

E como não faltam lições, eis que lá também fica claro como os governos capitalistas intervem na grande mídia. Manipulam o que será divulgado para tentar manter as estabilidades dos negócios e interesses de sua classe. O espelho de “ordem e liberdade” lá do outro lado dos Andres está quebrado. Quanto Marinho e seus herdeiros já elogiaram Pinochet e seus herdeiros? Hoje se calam.

Já elogiaram tudo do Chile, inclusive sua liberdade de imprensa. Não é bem o que está acontecendo, como denuncia a Federação de Trabalhadores de Canais de Televisão.

A Federacão de Trabalhadores de Canais de Televisão denunciou que Sebastián Piñera, e seu braço direito, e primo, o ministro do Interior Andrés Chadwick realizaram reuniões como os executivos dos canais de televisão para intervir em sua programação.

Uma carta assinada pela Federação de Trabalhadores dos Canais de Televisão (FETRA) dirigida a Ernesto Corno, presidente da ANATEL [associação dos canais de TV no país – Nota da Tradução]. Os trabalhadores de vários sindicatos de televisão qualificaram como de alta gravidade a intervenção realizada pelo governo Piñera nas informações divulgadas pelos canais de televisão aberta.

Nos permitimos denunciar uma prática inconstitucional e antidemocrática por parte do Governo e seu Ministro do Interior, esta semana exigiram presença de todos executivos dos meios de televisões no palácio de La Moneda”, afirma o comunicado.

Censura da imprensa, como nos tempos da ditadura

FETRA TV denunciou a censura, como ocorrida nos tempos da ditadura de Pinochet, fazendo que a informação sob intervenção do governo sofra questionamento nas ruas, como se viu com tantas ações denunciando os jornais, TVs e suas manipulações. Diferentes meios de comunicação alternativos e independentes aos meios patronais se dedicaram a entregar informação diretamente dos acontecimentos.

A partir do Portal Esquerda Diário reproduzimos o chamado do portal La Izquierda Diario Chile, parte de nosssa rede internacional de diários digitais de esquerda e que tomam o lado da luta dos trabalhadores contra o capitalismo, a fortalecer a organização dos trabalhadores, estudantes e vizinhos desde a base para acabar com Piñera e convocar uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana mediante a greve geral ativa e de luta, derrubando pinheira e todo o velho regime.

Pode te interessar: Debate no Chile: Como seguir a luta depois da maior manifestação da história




Tópicos relacionados

Mídia   /    Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar