Mundo Operário

TERCEIRIZADO: UM TRABALHADOR BRASILEIRO

Diana Assunção e Silvana Ramos falam sobre lançamento do documentário

Na última quinta-feira ocorreu na Faculdade de Direito da USP o lançamento do documentário "Terceirizado: um trabalho brasileiro" produzido pelo Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital coordenado pelo professor Jorge Luiz Souto Maior, também juiz do trabalho. Como convidadas estavam Diana Assunção, diretora do Sintusp e autora do livro "A precarização tem rosto de mulher" e Silvana Ramos, liderança das trabalhadoras terceirizadas da USP.

sábado 28 de março de 2015| Edição do dia

1 / 2

O documentário busca fazer um contraponto entre o poder público e suas instituições trabalhistas com a situação do trabalho precário no país. Para tal, reúne uma série de entrevistas com trabalhadoras terceirizados do setor público no Executivo, Legislativo e Judiciário. Os autores definem como um "documentário-denúncia" que vem a público como parte da luta contra a PL 4330.

O documentário traz também uma impressionante cena de uma trabalhadora terceirizada na greve da União, em 2011 na USP. Diana Assunção, no lançamento, considerou o documentário uma importante ferramenta de denúncia e colocou que "Os sindicatos combativos, estudantes, a intelectualidade e os trabalhadores, efetivos e terceirizados precisam se unificar na luta contra a PL 4330. Na USP viemos construindo, há anos, uma forte resistência contra a terceirização do trabalho porém por muito tempo estivemos sozinhos nesta batalha. É preciso lutar contra a PL 4330 mas também levantar um programa concreto que deve ser a efetivação de todos os terceirizados sem necessidade de concurso público".

Silvana Ramos contou sua experiência como "linha de frente" da greve da Dima em 2005 e a importância da luta contra a terceirização do trabalho, relacionando com os ataques que o governo vem desferindo contra os trabalhadores. O professor Jorge Luiz Souto Maior chamou os estudantes a refletirem profundamente sobre as consequências da terceirização, se pautando pelo olhar da classe trabalhadora e a busca de uma atuação a partir da luta de classes.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar