Sociedade

SAÚDE

Dia a dia a saúde está mais privatizada: trabalhadores já gastam mais que governo

sexta-feira 11 de dezembro de 2015| Edição do dia

Os trabalhadores já gastam um volume de recursos maiores na saúde privada do que o governo gasta com a saúde pública. Esta informação consta nos dados da Conta-Satélite de Saúde 2010-2013, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Dos R$ 424 bilhões gastos com bens e serviços de saúde no ano, R$ 190 bilhões foram referentes a despesas de consumo do governo, o equivalente a 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2013. O montante é 3,7% superior à despesa registrada em 2012.

Outros R$ 234 bilhões, ou 4,4% do PIB, eram despesas de trabalhadores e instituições sem fins lucrativos. O valor é 1,3% maior do que o registrado no ano anterior.
Ou seja, uma importante parcela dos salários dos trabalhadores é gasto com despesas de saúde que deveriam ser garantidas, como manda a constituição, gratuitamente pelo Estado.

A despesa per capita com consumo de bens e serviços de saúde foi de R$ 1.162,14 para famílias e instituições sem fins lucrativos a serviço das famílias em 2013, contra R$ 1.058,48 em 2012. Já o gasto per capita com saúde do governo ficou em R$ 946,21 em 2013, ante R$ 830,39 no ano anterior.
Ou seja, sabendo que o salário médio dos brasileiros é um pouco maior que 1mil reais esta despesa significa que os trabalhadores gastam um mês de salário para garantir, de forma precária sua saúde e de suas famílias. Este roubo ao salário dos trabalhadores é criado pela sistemática precarização da saúde pública que empurra mais e mais trabalhadores ao sistema privado (crescentemente precarizado). Quem ganha com isto são as grandes empresas, entre elas o grupo D’Or de propriedade do banco BTG Pactual, do banqueiro Esteves preso na operação Lava Jato.

Decompondo os gastos dos trabalhadores e do governo

O principal gasto dos trabalhadores é com serviços de saúde privados, que incluem os planos de saúde: R$ 141,3 bilhões, ou 2,7% do PIB de 2013. No governo, a principal despesa é a saúde pública, o equivalente a R$ 149,9 bilhões, 2,8% do PIB.

Além de alimentar os lucros das empresas de plano de saúde, os gastos privados e públicos com saúde são destinados em 20,6% com medicamentos. Também garantindo importantes lucros às empresas farmacêuticas.
O retrato que estes gastos revelam são produto de uma orientação política deliberada de todos partidos políticos do regime (PT, PSDB, PMDB, etc) que sistematicamente retiram recursos da saúde pública, organizam a privatização dos hospitais via OS’s ou via EBSERH no caso dos hospitais universitários, e depois de instalar a precariedade da saúde pública forçam os trabalhadores a não ver outra alternativa que recorrer a saúde privada.

Esquerda Diário com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Saúde

Comentários

Comentar