Mundo Operário

MUNDO OPERÁRIO

Denúncia: JBS faz mais uma vítima!

quarta-feira 22 de julho de 2015| Edição do dia

Esquerda Diário: quando e como foi esse acidente?

Andréia Pires: O acidente foi muito grave, o funcionário perdeu uma parte do dedo e machucou gravemente outros dois. Aconteceu na madrugada de quinta para sexta-feira, no começo do mês, no terceiro turno, que é o mais precário. A higienização de algumas máquinas tem que ser feita com elas ligadas, o que é muito perigoso, então, para tirar um resíduo que não saía, esse funcionário tentou alcançar com a mangueira, quando a pá do “mix” pegou a mão dele. O “mix” é um misturador de carne, que prepara a massa dos hambúrgueres, ele fica girando com umas pás, então é muito forte, mexe uma tonelada de carne, dependendo de como pegasse podia ter arrancado a mão inteira dele.

ED: e sobre as condições de trabalho, treinamento e segurança nas máquinas?

AP: As condições de trabalho nessa empresa são muito complicadas, não é a toa que ela é recordista de acidente. Até tem EPI (Equipamento de Proteção Individual), mas muitas vezes não adianta, como nesse acidente, não foi por falta de EPI, sabe, claramente foi por falta de treinamento, colocaram um funcionário novo, como menos de três meses na empresa, para lavar uma das máquinas mais perigosas! Eles só pensam no resultado deles, pressionam você a fazer as coisas correndo, falta funcionário, aí tem que fazer tudo em pouca gente mesmo, fica muito pesado o serviço. Além disso, a máquina não estava totalmente segura, já tinha acontecido um acidente parecido, dois anos atrás, com um funcionário que era bem experiente, mas não instalaram logo os EPC (Equipamento de Proteção Coletiva) corretos nela, esperaram acontecer de novo!! A postura da empresa em relação à segurança dos trabalhadores é descaso, muito descaso, infelizmente.

ED: o que você acha que os trabalhadores da JBS devem fazer?

AP: Olha, eu era da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e sei como é difícil fazer alguma coisa dentro dessa empresa, tanto que a minha demissão por justa causa foi para amedrontar os demais, mas se os trabalhadores se calarem e aceitarem essa situação não vai ter melhorias, vai continuar tendo acidentes assim, que mesmo tão horríveis ainda se repetem! Outra coisa que também faz muita falta nessa empresa é que o sindicato* seja mais presente, eles foram lá na porta da empresa semana passada entregar panfleto e não falava nada do acidente! Eu tenho ido bastante atrás do sindicato para que me ajudem a me defender dessa perseguição que sofri e fui eu que falei pra eles que o acidente tinha acontecido! É muito importante que o sindicato seja mais presente, não só entregar panfleto, tem que ser linha de frente mesmo, a peãozada lá é revoltada com tanta coisa errada que acontece na empresa, o sindicato tinha que levar carro de som lá, fazer assembleia e ajudar mesmo o pessoal.

*Trata-se aqui do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados e do Frio no Estado de São Paulo, filiado à CUT (Central Única dos Trabalhadores), que não possui site na internet ou perfil nas redes sociais, sendo dirigido pelo Partido da Causa Operária (PCO), cujo site é a única fonte de informações a respeito do sindicato e de publicação dos boletins do mesmo.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar