Política

GREVE DA SAÚDE NO RJ

Denúncia: Em Clínica da Família no Rio, falta cloro e sobram tiroteios

De acordo com denúncia anônima, trabalhadores de uma Clínica da Família em Bangu, na cidade do Rio, faltam insumos básicos como cloro e papel higiênico. Em compensação, os tiroteios são constantes.

sexta-feira 6 de dezembro de 2019| Edição do dia

"Nós estamos sem cloro para poder limpar a sala de curativo, muitas das vezes o curativo não é feito. Nós não temos equipo, muitas das vezes nós não temos papel higiênico na unidade para os profissionais e usuários. Copos descartáveis as vezes não tem. Quando a gente quer tomar um café a gente faz intera mesmo e e faz o café. Mas a realidade é que falta medicamento, as meninas da limpeza tão fazendo tipo umas escalas porque elas não tem como ir pro trabalho e assim, sem receber também. (...) Tá sendo muito triste para a gente e para a comunidade"

Esse relato é de um trabalhador de uma clínica da família na região de Bangu, na cidade do Rio. Para agravar a situação, o mesmo também relatou tiroteios constantes na região da clínica, com o qual os trabalhadores e pacientes tem que sobreviver diariamente:

"Nós temos que conviver com atores, bandidos que inclusive, as vezes, oprimem a nós trabalhadores da saúde. Nós temos que conviver com tiroteios diários na comunidade e saber lidar também com a família desses atores."

Infelizmente essa denúncia, longe de ser isolada, reflete uma situação comum nas clínicas do Rio. Para terminar o trabalhador ainda disse:

Nós estamos protestando pelos nosso salários, pelos nosso benefícios, mas principalmente porque a gente gosta da nossa da profissão (...) se a gente não gostasse, a gente tava fora há muito tempo. Mas eu gosto de ser agente de saúde por isso que eu estou aqui protestando pelos meus direitos e por ter a dignidade de trabalhar na minha comunidade onde eu gosto tanto.




Tópicos relacionados

Greve na saúde do Rio   /    Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar