Política

PARTIDO JUDICIÁRIO

De noite com a direita, de dia contra Lula. Saiba mais sobre o juiz que suspendeu a posse

quinta-feira 17 de março de 2016| Edição do dia

Na manhã desta quinta feira, Luis Inácio Lula da Silva foi impedido de assumir o cargo de Ministro da casa civil devido à uma liminar da Justiça Federal de Brasilia, assinada pelo juiz da 4ª. Vara Federal Itatiga Catta Preta Neto, que entendeu que há suspeita de cometimento do crime de responsabilidade por parte de Dilma. O juiz acolheu uma ação popular movida pelo advogado Enio Meregali Júnior.

O caráter "técnico" da ação da justiça, onde se espera que exista o zelo pela imparcialidade política dos agentes responsáveis, desmorona com uma rápida olhada na pagina de facebook do Juiz Itatiga Catta .



Militante de um “impeachment do Mickey e da Disney”, um argumento muito profundo

Vemos não apenas o claro posicionamento político do juiz, como chamados para o ato pelo impeachment e até uma foto onde ele participa das manifestações de domingo e também ontem. Difícil imaginar que Itatiga tenha agido com o único proposito imparcial de garantir o funcionamento da justiça, e não o de criar um enorme fato político em meio a crise do regime que favoreça à oposição de direita e o impeachment (ou a “renúncia já” que virou a nova consigna da FIESP, da direita e de setores acomodados das classes médias que a tem seguido nas ruas).

O que chama a atenção é o fato dessa ser mais uma demonstração do acumulo de poderes sem limites que tem se concentrado nas mãos da justiça, onde um juiz de primeira instancia, e não o STF, decide quem a presidência pode ou não nomear como ministro. Mesmo se fosse o STF, se trataria de uma enorme interferência do judiciário no executivo, minando a tão propalada "independência dos poderes. Se trata de um fortalecimento do judiciário enquanto instituição bonapartista, ou seja, que se coloca acima de todas as outras forças políticas para escolher que “novo” projeto capitalista (e portanto corrupto) eles fortalecerão e assim desferir maiores ataques aos trabalhadores, para aumentar em muito nossa idade de aposentadoria, cortar direitos, empregos, salários.

Esse fortalecimento irrestrito do justiça, responsabilidade do próprio PT, alem de ser um enorme problema para os trabalhadores, pois certamente se voltará contra eles quando entrarem em luta contra os ajustes, não garante um real combate à corrupção. O que temos visto é apenas o combate e desgaste das forças políticas na qual o judiciário não se alinha, enquanto diversos políticos envolvidos conjuntamente com o PT nos escândalos de corrupção (Senador Aécio Neves -PSDB, Governador Geraldo Alckmin - PSDB, Presidente do Senado Renan Calheiros PMDB, Presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha PMDB o Vice-Presidente Michel Temer, em um longo etc) seguem impunes sem nenhuma grande ofensiva contra eles.

Para realmente combater a corrupção, tanto do PT (inegável que ela exista, como querem fazer aparecer os petistas), quanto de todos os outros políticos, é preciso não uma força social totalmente comprometida com o regime, com as forças políticas burguesas e com os próprios esquemas de corrupção, como é o caso do judiciário (alem de ganharem salários totalmente exorbitantes, como o de 80 mil por mês de Moro, mais um elemento para ter desconfiança), mas da mobilização independente dos trabalhadores, que lute contra os ajustes e para acabar com a impunidade dos políticos e coloque de pé uma assembleia constituinte, para nos livrar de uma democracia da Lava Jato,Trensalão,Merendão e garantir o julgamento por júri popular de cada corrupto e corruptor, garantir que todo cargo político de juiz a deputado seja eleito e revogável e ganhe o mesmo que uma professora.




Tópicos relacionados

"Partido Judiciário"   /    Política

Comentários

Comentar