Política

CORONAVÍRUS | RJ

Crivella quer reabertura do comércio em meio ao pico de contágio do coronavírus

quinta-feira 21 de maio| Edição do dia

Crivella, prefeito do Rio de Janeiro, decidiu enviar ao conselho científico do município um plano elaborado com empresários para reabrir o setor de comércio e parte do setor de serviços da cidade. A decisão ocorreu após se reunir com Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto.

O Rio de Janeiro é o segundo estado brasileiro em número de atingidos pelo coronavírus, com mais de 30 mil infectados e 3,2 mil mortes confirmadas por causa do COVID-19.

De acordo com Crivella, a reabertura será escalonada, e diz que no último período houve queda de 80% das aglomerações e do número de passageiros em ônibus na cidade, o que seriam, de acordo com o prefeito, "sinais no horizonte que devemos voltar às atividades".

O RJ passou por um período de grande aumento nos casos de COVID-19, indo de 422 mortos no dia 20 de abril para 3.2 mil na quarta-feira, dia 20 de maio.

Como explicitado nesta matéria, as favelas no RJ totalizam mais mortes por coronavírus do que 15 estados brasileiros. A falta de água e saneamento básico, e as péssimas condições de moradia, escancaram a profunda desigualdade social e a escolha dos governos de Crivella, Witzel e Bolsonaro de privilegiar o lucro dos grandes empresários em detrimento da vida da população pobre e das favelas.

Em meio ao período de pico de transmissão do vírus e do número de mortos, Crivella faz acordo com empresários para reabertura do comércio e serviços, o que só confirma que, para esses setores, os seus lucros estão acima de tudo, inclusive das vidas das trabalhadoras e dos trabalhadores que, com a reabertura, colocarão em risco a si e suas famílias. Assim como explicita a prioridade do governo de Crivella de atender aos interesses dos patrões.

Por isso, nós do Esquerda Diário dizemos que nossas vidas valem mais que o lucro deles!




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Marcelo Crivella   /    Jair Bolsonaro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar