Política

SÃO PAULO

Covas vai dar "cupom de desconto" para pais pagarem creche ao invés de abrir mais vagas públicas

Bruno Covas avança com projeto de privatização da educação básica em SP e agora vai distribuir vouchers para que pais usem como "desconto" no pagamento de mensalidade em escolas particulares.

terça-feira 12 de novembro| Edição do dia

A Prefeitura de São Paulo, sob comando de Bruno Covas (PSDB), herdeiro de Doria, pretende pagar as mensalidades de crianças carentes de 0 a 3 anos em escolas filantrópicas e particulares através de vouchers.

Este método, amplamente defendido pelo partido NOVO, descaradamente aliado aos empresários, é uma iniciativa que caminha em conjunto com outras políticas levadas pelo governo municipal de São Paulo para avançar com a privatização do ensino público.

Saiba mais: Bruno Covas é responsável por aumento de quase 300% nas filas de espera de creches em SP

Com este método, os pais recebem um vale em dinheiro do governo para pagar a escolas particulares. Enquanto as crianças paulistanas e seus pais batalham por vagas em creches, Bruno Covas vê uma importante brecha para ampliar ainda mais esquemas privatistas na cidade.


Bruno Covas e João Doria

Hoje a fila por uma vaga nas creches está em cerca de 70 mil bebês e crianças. Bruno Covas vem avançando com outras medidas, chegando à tentar vender terrenos de escolas em São Paulo e terceirizando espaços do ensino público básico, que expõe a dinâmica cruel da privatização dos serviços públicos, quando deixa crianças sem merenda.

VEJA: Creches terceirizadas pela prefeitura de São Paulo roubam até a comida das crianças

O programa, batizado de Mais Creche, serão R$ 727 reais por mês para cada criança. Entre as instituições que fazem parte do cadastro de 2071 instituições de ensino na secretaria municipal estão Escola Santa Maria, Colégio São Luís, Arquidiocesano e Nossa Senhora do Sion, que têm mensalidades acima do dobro do valor que será pago pelo Município.

Ou seja, o voucher recebido pelas famílias ainda assim não cobrirá os gastos com creches, que inclusive não se bastam na mensalidade, e sim em transporte, material escolar e uniforme.


Bruno Covas tenta vender terreno de escola pública em bairro nobre de SP e comunidade escolar se manifesta contra o ataque

A parceria entre o governo municipal e grandes monopólios que avançam pela privatização dos serviços públicos não é uma inovação de Bruno Covas. João Doria, atualmente governador de São Paulo, criou outros programas que beneficiavam grandes hospitais e clínicas, bem como indústrias farmacêuticas em São Paulo, chegando até mesmo a comprar remédio vencido com dinheiro público.

Leia também: Falta de vagas nas creches: construamos uma voz anticapitalista para denunciar os ataques as mulheres trabalhadoras

Os ataques aos serviços públicos, como as creches, é uma das expressões machistas destes governos que querem acabar com questões fundamentais para os trabalhadoers, em especial as mulheres trabalhadoras, que dependem fundamentalmente deste tipo de serviço para trabalharem.

É necessário que as mulheres, ao lado dos trabalhadores, encabecem a luta contra as políticas de ajustes e ataques que precarizam ainda mais as condições de vida, colocando como parte essencial a garantia de direitos às mulheres e mães, como as creches.




Tópicos relacionados

Bruno Covas   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar