Sociedade

LGBTFOBIA NO FUTEBOL

Conselheiro do Sport faz ataques homofóbicos à ex-BBB Gil após vídeo na Ilha do Retiro

Gil do Vigor, economista e torcedor do Sport, havia sido convidado para conhecer a Ilha do Retiro pela primeira vez, onde fez um vídeo dançando. O áudio do membro do Conselho Deliberativo do clube é mais um triste caso de opressão no futebol, que afasta pessoas LGBTs dos estádios e do esporte.

sexta-feira 14 de maio| Edição do dia

(Foto: Anderson Stevens/Sport)

No áudio divulgado, o conselheiro Flávio Koury faz diversas ofensas contra Gil, e reclama que "vão achar que no Sport só tem viado". Além disso, ele culpa o PT pela situação. Ele diz:

"1,2 milhões (sic) de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem bicha. Vai vender é camisa. A viadagem todinha vai comprar. Vai ser lindo! Se ele tivesse feito a dancinha na casa dele ou no bordel, eu não estava nem aí. Foi dentro da Ilha do Retiro, né rapaz? Isso é uma desmoralização! Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que estamos vivendo. [..] Isso é o retrato do que o PT deixou pra gente."

Através do Twitter, Gil disse estar machucado e que é muita dor sofrer ataques homofóbicos.

É preciso repudiar a declaração de Flavio Koury, bem como toda manifestação de LGBTfobia e opressão e reafirmar que o futebol, um esporte que nasce na classe trabalhadora, não pode mais ser um espaço de exclusão de mulheres e de LGBTs.

Leia também: Jogadoras se solidarizam com Paulo Gustavo, contra fala que diz que ator foi para o inferno




Tópicos relacionados

Futebol e Política   /    Futebol e classe trabalhadora   /    LGBTfobia no esporte   /    LGBTfobia   /    Recife   /    Esportes   /    Homofobia e Transfobia   /    Futebol   /    Sociedade   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar