Mundo Operário

BREQUE DOS APPS

Chapa 4 Nossa Classe Metroviários: Por que defendemos parar junto aos entregadores?

quarta-feira 1º de julho| Edição do dia

Depois de indicar uma greve para o dia 01, os metroviários de SP decidiram adiar sua paralisação após a mediação da justiça nessa terça (30). O TRT fez algumas propostas para parecer favorável aos trabalhadores, ao mesmo tempo que não obrigava a empresa a voltar a trás em nada, mesmo depois do corte nos salários. Com isso, o Metrô se mostrou mais uma vez intransigente negando qualquer possibilidade de conciliação. Assim, com a negativa da empresa, o tribunal fez uma manobra marcando nova conciliação para essa quarta as 10h, condicionando o adiamento da greve, para desmobilizar os trabalhadores e impedir que os metroviários se unificassem com os entregadores de Apps. Diante disso houve uma divisão na diretoria do sindicato, onde a maior parte dela defendeu suspender a greve, o que acabou se expressando também nos votos da maioria da categoria. Segue abaixo a declaração da Chapa 4 - Nossa Classe Metroviários, que compõe a minoria da diretoria do sindicato, que defendeu a continuidade da greve dia 1 junto com os entregadores.

Por que defendemos estar junto com os entregadores, e como fortalecer nossa unidade na luta? - Chapa 4 Nossa Classe

Mais de 3 mil votantes na assembléia dessa terça feira expressam a força da nossa mobilização. Nós da Chapa 4 - Nossa Classe, defendemos que deveríamos ter feito greve no dia 01, pois o metrô já descontou nosso salário e se mantém intransigente em atacar nosso acordo coletivo. Seria uma grande oportunidade de estarmos em greve junto com os entregadores de app, e assim construir na prática uma aliança fundamental com os trabalhadores que mais sofrem com precarização.

Na nossa opinião, o que a justiça fez foi uma manobra para nos desmobilizar e evitar a nossa unidade na luta com os entregadores. Por isso, discordamos da posição da maioria da diretoria e dos três coordenadores gerais do sindicato - membros das chapas 1, 2 e 3 - que defenderam o adiamento da greve. Mas sabemos que os trabalhadores que votaram nessa proposta de adiamento da greve também querem lutar em defesa dos nossos direitos, como mostram os 92% de votos contra a proposta da empresa, e compreendemos suas preocupações. Então o que precisamos agora é fortalecer nossa mobilização, com a unidade de toda a categoria.

Assim, saudamos os 570 metroviários que, mesmo com a manobra da justiça e a maioria do sindicato contra, votaram pela greve no dia 1, e também alguns membros das outras chapas que tiveram essa posição. Também saudamos os 2412 que participaram, mesmo com outra posição, pois entendemos que são a favor de seguir na luta e necessitamos da unidade de todos. Agora precisamos debater a melhor forma de fazer isso.

Consideramos que hoje se mostrou claramente a importância de uma proposta que viemos defendendo nas últimas semanas: assembléias onde todos possam falar e fazer propostas, e organização de base com reuniões por local de trabalho que debatam propostas e elejam representantes para um comitê que construa a mobilização e as assembléias junto com o sindicato. Hoje e nas últimas assembléias defendemos isso, quisemos apresentar propostas, e que ao menos houvesse lives antes da votação com abertura para diferentes posições falarem, mas a maioria do sindicato e os coordenadores das três chapas não concordaram. Chamamos a rever essa posição, pois é urgente mudar isso.

Fazemos essas propostas justamente para ajudar a construir a unidade do nosso sindicato e da nossa categoria na luta, e a melhor forma de fazer isso é debatendo as diferentes opiniões. É assim que vamos fortalecer a nossa luta e fortalecer o nosso sindicato. Isso vai ser fundamental para enfrentar a intransigência da empresa. E também para construir uma aliança com outros trabalhadores, como os entregadores, que é fundamental, pois os patrões querem dividir a nossa classe, separar os que têm mais conquistas dos que mais sofrem com a precarização, e nós temos que nos unir, e lutar juntos contra qualquer retirada de direitos, para que todos tenham os mesmos direitos que nós.

Segue abaixo vídeo do diretor do sindicato dos metroviários pela chapa 4 Francielton, declarando apoio à paralisação dos entregadores




Tópicos relacionados

Breque dos apps   /    Entregadores   /    Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar