Gênero e sexualidade

CENSURA

Censores de Crivella são recebidos com vaias quando tentavam recolher HQ’s na Bienal

Com vaias foram recebidos os fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública estiveram no inicio da tarde desta sexta-feira na Bienal do Rio, para intimidar autores, editoras e pessoas presentes e recolher o livro em quadrinhos Vingadores, a Cruzada das Crianças do universo Marvel.

sexta-feira 6 de setembro| Edição do dia

Há informações que ao contrário do que gostariam Crivella, Bolsonaro, Witzel e seu parceiro em reacionarismo na toga, Marcelo Bretas, menos de 40 minutos depois da abertura da Bienal, o livro já estava esgotado nos 520 estandes. Na véspera, o prefeito Marcelo Crivella havia criticado o livro, que apresenta personagens gays. O prefeito tentou encobrir seu reacionarismo, como fazem todos defensores do Escola sem Partido e outras medidas patriarcais e lgtbfóbicas com o “direito das crianças”.

Mas nem essa hipócrita defesa das crianças de políticos que são os primeiros a aplaudir as operações assassinas da polícia do Rio de Janeiro sob mando de Witzel se sustenta. De acordo com a presidente da Comissão de Direitos da Criança e do Adolescente da OAB, Suzana do Monte Moreira, a determinação do estatuto só se aplica a casos em que há imagens de nudez ou sexo explícito. No caso do livro da Marvel, há somente uma imagem de um beijo entre dois homens inteiramente vestidos. A especialista lembra que o casamento (e a família homoafetiva) é reconhecido no País desde 2011 e que a homofobia é considerada crime - similar ao racismo. Mas isso não importa a Crivella, como não importou a Doria que mandou recolher livros didáticos na capital paulista.

Querem o direito de massacrar com seu reacionarismo para tentar fazer que as mulheres se contem em ser “belas, recatadas e do lar”, vestindo rosa e nunca azul, e todos LGBTs sejam “curados”. Esse reacionarismo está em função de interesses eleitorais, mas muito mais que isso, é um serviço de diferentes políticos burgueses a favor da divisão da classe trabalhadora para assim tentar aumentar a exploração.

As vaias na Bienal, a força internacional do movimento de mulheres são pontos de apoio a combater todo reacionarismo patriarcal e heteronormativo, a censura, e a LGBTfobia.

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Censura   /    Marcelo Crivella   /    Homofobia e Transfobia   /    LGBT   /    Rio de Janeiro   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar