×

Brasil de Bolsonaro | Capitalismo precisa acabar! Mais de 24,5 milhões não sabem se comerão durante o dia no Brasil

Mais de 24,5 milhões de pessoas no país acordam sem saber se vão comer durante o dia. Além disso, 20 milhões de brasileiros passam 24 horas sem ter com o que se alimentar e 74 milhões estão inseguras sobre a possibilidade de passar fome. Esses dados só escancaram como o capitalismo precisa acabar, enquanto Bolsonaro empurra Brasil para fome, desemprego, miséria e demais mazelas do capitalismo.

quarta-feira 13 de outubro | Edição do dia

Um levantamento realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), realizada em dezembro de 2020, apontou que mais de 24,5 milhões de pessoas no país acordam sem saber se vão comer durante o dia.

Veja mais: No país da fome, Cozinha Solidária da Azenha é fechada pela Polícia Federal

A pesquisa também apontou que apontou que 20 milhões de brasileiros passam 24 horas sem ter com o que se alimentar em alguns dias, e que o Brasil ainda tem 74 milhões de pessoas inseguras sobre a possibilidade de passar fome.

Veja também: Com salário de R$78.000, desembargador mantém mãe presa por roubar R$21,00 em alimento

No total, mais da metade da população nacional (55%) sofria de algum tipo de insegurança alimentar em dezembro passado. A média nacional de insegurança grave é de 9%, mas chega a 18% e 14%, respectivamente, no Norte e Nordeste, regiões mais pobres do país.

Veja também: 12 de outubro: 9,1 mi de crianças vivem em extrema pobreza, passando fome no dia das crianças

A pesquisa foi realizada em dezembro do ano passado em 1.662 domicílios urbanos e 518 rurais, antes do repique inflacionário dos últimos meses, que certamente piorou a situação.

Veja mais: Número de brasileiros passando fome salta de 10,3 milhões em 2018 a 19,1 milhões em 2020

Além disso, a crise econômica aliada ao alto desemprego fizeram com que explodisse no Brasil o número de favelas. De acordo com levantamento do IBGE, nos últimos 10 anos elas dobraram em número e presença. Ou seja, assim como aumenta agora no governo genocida de Bolsonaro, também aumentou nos governos anteriores, do golpista Michel Temer (MDB) e Dilma Rousseff(PT). Lembrando que nos governos do PT, longe de ter sido um governo "socialista" como prega Bolsonaro e demais lunáticos bolsonaristas, mas sim de conciliação de classes, se triplicou a terceirização e se duplicou a população carcerária, entre outras medidas que favoreceram fortemente os lucros dos capitalistas, com o qual certamente a população das favelas acabaram sendo as mais afetadas.

Pode te interessar: Guedes volta a responsabilizar alimentos e energia por inflação enquanto defende sua offshore milionária

A estimativa do instituto aponta que o número de “aglomerados subnormais”, como favelas, palafitas, entre outras, saltou de 6.329 em 323 cidades, em 2010, para 13.151 em 734 municípios em 2019.

Veja mais: Após "fila do osso", fila do lixo em BH é mais um símbolo da miséria e fome no país

Esses dados escancaram novamente que como o capitalismo não funciona e precisa acabar. Enquanto aumenta a pobreza, a fome, o desemprego a miséria e todas as mazelas desse sistema podre batem recordes, Bolsonaro e todo o conjunto do regime golpista garantem que os capitalistas sigam aumentando os seus lucros cada vez mais, como é o caso do agronegócio e dos banqueiros.

Áudio diário de 5 minutos | 13/10 - Fome: fila do lixo em BH para conseguir comida:




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias