Política

AUXILIO EMERGENCIAL

Câmara amplia auxílio emergencial, mas o valor reduzido e demora pela liberação continuam

sexta-feira 17 de abril| Edição do dia

Hoje (17) a Câmara dos Deputados aprovou a ampliação da lista trabalhadores que podem ter direito ao auxílio de R$ 600. O texto foi aprovado com alteração, ou seja, será analisado novamente pelo Senado antes de ir para sanção presidencial, o que significa que haverá mais famílias sem receber o auxílio durante este meio tempo.

A Câmara incluiu na lista de beneficiados vendedores porta a porta e esteticistas, projeto também estendeu o auxílio emergencial às mães adolescentes, menores de 18 anos, e às famílias monoparental, independente do sexo, que terão direito 2 cotas de R$ 600. Diferentemente de como era antes, em que apenas mulheres chefes de família poderiam receber 2 auxílios.

Enquanto o Legislativo e Executivo demoram para aprovar e implementar um auxílio pífio de R$ 600, quando se trata de liberar recursos trilionários para bancos, a máquina pública funciona com velocidade recorde.

Este valor irrisório do auxílio, menor que 20% do salário mínimo estipulado pelo Dieese em dezembro de 2019, juntamente com como tem sido combatida a pandemia, seja no negacionismo de Bolsonaro ou no mero #FiqueEmCasa de Dória e cia., revelam o total descaso dos governantes quanto à sua população, que não seguem nem as recomendações da OMS, implementando testes massivos.

Para o combate à crise do Coronavírus é necessário garantir estes testes, além de EPIs para todos os que estejam trabalhando, também a reconversão das fábricas para produção de insumos necessários para o combate à crise, como respiradores, e que seja assegurado que nenhum trabalhador perca o emprego por conta da pandemia, e para aqueles já desempregados um auxílio de R$ 2000.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Câmara dos Deputados   /    Congresso   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar