×
Rede Internacional

CPI DA COVID | CPI da Covid aprova depoimento secreto de Witzel, gerando mais conflitos entre golpistas

O teatro da CPI da Covid segue levando a mais fricções entre as diferentes alas golpistas. Após CPI da Covid aprovar hoje (23) a realização do depoimento secreto de Witzel e a quebra de sigilo de seis organizações sociais pagas para administrar hospitais no Rio de Janeiro, houveram protestos de senadores bolsonaristas contra opositores.

quarta-feira 23 de junho | Edição do dia

FOTO: Marcos Oliveira/Agência Senado

Wilson Witzel (PSC-RJ), que já tinha deposto na última quarta-feira (23), prometeu à CPI a revelação de fatos “gravíssimos” que demonstram irregularidades na gestão da Saúde no RJ.

Veja mais: Arthur Lira diz que CPI não trará efeito nenhum e que irá avançar com reforma administrativa

Senadores governistas (apoiadores de Bolsonaro) já tinham obstruído o processo de votação pela oitiva de Witzel, com o argumento de que era problemático que ela ocorresse no Rio, e não em Brasília, no Senado. Omar Azis (PSD-AM), presidente da CPI, disse que ainda será definido o local da oitiva, e que a comissão precisará considerar a segurança do ex-governador. "Pode ser no Senado, na Polícia Federal, em Brasília, no Rio. Ainda vamos decidir", disse o presidente da CPI.

O senador Fernando Bezerra (MDB-PE), aliado de Bolsonaro, disse que a situação se trata de uma disputa política, pois Bolsonaro e Witzel romperam suas alianças. Segundo Bezerra, se trata de um "instrumento de promoção política".

Veja também: Ministra do STF decide que governadores podem ir a CPI da Covid apenas de forma voluntária

Witzel também disse em testemunho que as seguintes organizações sociais teriam participado de desvios de recursos no Rio de Janeiro: Instituto Unir Saúde, Viva Rio, Associação Filantrópica Nova Esperança, Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), Associação Mahatma Gandhi (OS), Instituto dos Lagos Rio (OS), Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas). Todas estas organizações são alvos de quebra de sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático aprovados pela CPI.

Lutar contra Bolsonaro, Mourão e governadores para vingar nossos 500 mil mortos por covid

O fato é que a CPI não representa nenhuma saída para a agonia e o sofrimento em que vive a classe trabalhadora e povo pobre no Brasil, pois tem apenas como objetivo controlar os ritmos de desgaste do governo Bolsonaro e livrar a cara de parte do regime golpista, que também foram responsáveis, junto com Bolsonaro, Mourão e militares, pelas mais de 500 mil mortes pela pandemia. O reacionário Witzel, que rasgou a placa de Marielle Franco, e todos estes golpistas, estão unidos para descarregar a crise nas costas da classe trabalhadora, através das reformas trabalhista, da previdência, cortes, demissões e privatizações.

Não somos telespectadores da CPI, lutemos nas ruas por vacina para todos!

Acompanhe a cobertura do Esquerda Diário sobre a CPI da Covid: CPI da Covid




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias