RACISMO

Bolsonaro sobre declarações racistas: ’Cultura tem que estar de acordo com a maioria’

Sobre a nomeação do novo presidente da Fundação Palmares, o direitista Sergio Camargo, o presidente Jair Bolsonaro diz ter dado “carta branca” ao secretário Especial da Cultura Roberto Alvim para indicar quem bem entender.

sexta-feira 29 de novembro de 2019| Edição do dia

Imagem: Amanda Perobelli/Reuters

Sobre a nomeação do novo presidente da Fundação Palmares, o direitista Sergio Camargo, o presidente Jair Bolsonaro diz ter dado “carta branca” ao secretário Especial da Cultura Roberto Alvim para escolher quem bem entender e dispara “a cultura nossa tem que estar de acordo com a maioria da população brasileira”, mentira e hipocrisia absurdas já que a maioria da população do país é negra, vive nos morros e é reprimida pela polícia todos os dias e nada tem a ver com os devaneios direitistas de Bolsonaro e sua corja.

No país de Marielle, a ferida aberta do golpe institucional que ajudou a eleger Bolsonaro, e de Ágatha Felix, menina de 8 anos assassinada pela polícia, é escandaloso que uma entidade com o foco de fomentar identidade cultural e a memória dos negros e negras tenha como novo presidente um militante de direita que já afirmou que no Brasil não existe racismo de verdade, que a escravidão foi "benéfica para os descendentes" e que defende o fim do feriado da Consciência Negra.

Sergio Camargo, apesar de ser jovem e negro, é anti organização do Movimento Negro no Brasil, um país com imensa herança escravocrata que se faz sentir, dentre outros temas, na desigualdade salarial entre negros e brancos, no número assombroso de mortos da juventude negra pela polícia e na população carcerária negra que é de mais de 64% do total de presos.

O presidente Jair Bolsonaro, com seu discurso de ter dado “carta branca” ao secretário especial da Cultura para escolha do novo presidente, tenta esconder que, na verdade, respalda Sérgio Camargo, que faz coro com as alas mais reacionárias do governo Bolsonaro. Além disso, dispara “a cultura nossa tem que estar de acordo com a maioria da população brasileira, não com a minoria”, mentira e hipocrisia absurdas, já que a maioria da população brasileira e negra e luta cotidianamente contra a pesada herança escravocrata.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Extrema-direita   /    Racismo   /    Jair Bolsonaro   /    [email protected]

Comentários

Comentar