×

Negacionismo | Bolsonaro relativiza o número de mortes infantis por covid-19

No último sábado (22), Bolsonaro em conferência com jornalistas, na cidade de Eldorado, SP, minimizou o número de mortes de crianças por covid-19.

segunda-feira 24 de janeiro | Edição do dia

Em pronunciamento junto com jornalistas, Bolsonaro voltou a relativizar os casos de mortes infantis por conta do covid-19, apesar do aumento absurdo nas internações de crianças devido a variante Ômicron, chegando a ocupar 100% nos leitos de UTI pediátricos em capitais como Salvador.

Veja também : Em Salvador, 100% dos leitos de UTI pediátricos para covid-19 estão ocupados

"Se você analisar, 2020, 2021, mesmo na crise da coronavírus, ninguém ouviu dizer que estava precisando de UTI infantil. Não teve. Não tivemos. Eu desconheço criança baixar no hospital. Algumas morreram? Sim, morreram. Lamento, profundamente, tá. Mas é um número insignificante e tem que se levar em conta se ela tinha outras comorbidades também", disse.

Bolsonaro também afirmou que a vacina para crianças não é obrigatória e que devem ser citados possíveis efeitos colaterais. "A vacina para crianças não é obrigatória. E tem que ser falado o quê por ocasião da vacinação? Quem for aplicar a vacina? Olha, tá aqui teu filho, de cinco anos de idade. Ele pode ter palpitação, dores no peito e falta de ar. Vai ser dito para ele, como está no despacho do Lewandowski".

Ainda, fala sobre uma PEC ( Proposta de emenda à Constituição), para uma redução temporária de tributos sobre os combustíveis, uma medida para tentar abanar para alguns setores patronais que nas últimas semanas inclusive organizaram Lockouts, em busca de maiores concessões por parte dos governos estaduais, como foi caso da paralisação das empresas de transporte que aconteceu em em Belo Horizonte no começo do mês, colocando em jogo o próprio pagamentos dos salários dos trabalhadores.

Veja também: Empresários param 108 ônibus em BH e descarregam na população os ataques do governo

"Eu vi um órgão de imprensa dizendo que com essa PEC da imprensa eu quero confusão com os governadores. Confusão se fosse uma determinação, a PEC é autorizativa. Eu garanto para você, se a PEC passar, no segundo seguinte à promulgação, eu zero o imposto federal do Diesel no Brasil", disse.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias