×

Bolsonaro mente | Bolsonaro mentiu 1682 vezes em 2020 para justificar suas ações criminosas

Uma ONG internacional Chamada artigo 19, expôs um relatório sobre declarações falsas de Bolsonaro que serviram para acobertar diversas das suas ações criminosas durante a pandemia tal como ataques a liberdade de expressão e imprensa, além de acobertar internacionalmente os dados sobre a pandemia e propagar desinformação sobre o COVID-19 em suas redes, somando ao todo mais de 4 mentiras ao dia.

quinta-feira 29 de julho | Edição do dia

Imagem: Miguel Schincariol/AFP

Não era de se esperar menos de Bolsonaro, que além de estar envolvido em diversos escândalos de corrupção envolvendo sua família e os militares, sempre esteve ao lado de propagar as Fake News, que foram importantíssimas durante a sua campanha e até mesmo durante o seu mandato enquanto presidente. Mesmo antes de assumir o cargo, Bolsonaro emitiu mais de 2187 informações falsas nas suas redes e nas entrevistas que participou.

Somente contra Jornalistas e mídia foram em torno de 416 declarações, que serviram para que sua base se colocasse em hostilidade os membros da imprensas que questionassem sua postura e expusessem as contradições de sua gestão e de seu mandato desde a época em que era deputado. Isso tudo causou mais de 230 casos de agressão a jornalistas, e 20 casos graves como homicídios e tentativas de homicídios a repórteres e jornalistas.

Leia também: Guedes atuou para atrasar compra de vacinas, enquanto milhares de brasileiros seguem morrendo e General Pazuello, por fora de agenda oficial, negociou Coronavac pelo triplo do preço

Além disso Bolsonaro foi apontado como um dos maiores difusores de teoria da conspiração contra mulheres, negros, LGBTs e diversos povos como os cubanos, dos quais Bolsonaro acusou de serem guerrilheiros disfarçados que vieram implantar o comunismo no Brasil os médicos voluntários de Cuba que atendiam diversas cidades do país das quais os médicos brasileiros se negavam a atender, fazendo a maioria deles voltar para seu país deixando milhares de pessoas sem médicos enquanto ele planejava um desmonte gigantesco da saúde que levou o país a quase 600 mil mortes por COVID.

Os dados apontam que não se há autoritarismo, propagação de notícias falsas e ataques a imprensa dessa forma desde a época da ditadura militar, pois o brasil desceu 48 números em uma escala de 100 pontos em liberdade de expressão, ficando com a marca de 52 pontos e chegando a níveis de censura absurdos.

Todo esse nível de censuras e propagação de mentiras sempre serviram para que Bolsonaro pudesse executar seu plano de governo ultra neoliberal e de privatizações e ataques aos direitos dos trabalhadores para beneficiar os grandes capitalistas. Por isso é necessário que a população seja responsável por retirar Bolsonaro, Mourão e os militares a partir de uma assembleia constituinte livre e soberana imposta pela luta e a auto organização dos trabalhadores para que assim possamos reverter todos os ataques que Bolsonaro aplicou e ainda está para aplicar e que muitos dele, Lula está disposto administrar caso ganhe as eleições de 2022.

Fonte: ONG Artigo 19




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias