LANÇAMENTO LIVRO ROSA LUXEMBURGO

Biografia da Rosa Luxemburgo será lançada no IFCH-Unicamp no dia 21/03

Rosa Luxemburgo – Pensamento e Ação é o mais novo livro publicado em parceria pelas editoras Boitempo e Iskra e terá seu lançamento na UNICAMP, quinta-feira, 21 de março, no Auditório I do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), às 17h30. Nas semanas seguintes, o grupo de mulheres Pão e Rosas, junto ao Esquerda Diário, impulsionará um grupo de estudos que aprofundará debates a respeito do marxismo de Rosa Luxemburgo, tendo a obra como base.

sexta-feira 15 de março| Edição do dia

Na atividade de lançamento, incorporada à Calourada Integrada dos estudantes, estarão reunidas em Campinas duas especialistas da obra de Rosa Luxemburgo, Isabel Loureiro e Diana Assunção, que escreveram o posfácio e o prólogo do livro, respectivamente. Será uma oportunidade única, não apenas para conhecer parte da obra e vida de Rosa Luxemburgo, como também para discutir as lições e encarar os desafios postos pelas realidades nacionais e internacionais. Essa mesa marcará o início, nas semanas seguintes, de debates impulsionados pelo grupo de estudos que o Pão e Rosas, junto ao Esquerda Diário, impulsionará.

“A sua ordem está construída sobre areia. Amanhã a revolução se levantará de novo ruidosamente”. Foi assim que Rosa Luxemburgo se despediu da colaboração que mantinha no jornal A Bandeira Vermelha, alertando que a derrota dos trabalhadores na Revolução Alemã estava longe de ser o capítulo final daquela história. Rosa foi assassinada poucos dias depois. Há 100 anos desse assassinato, que terminou com a vida revolucionária da Rosa Vermelha pelos algozes da social-democracia alemã, a biografia escrita por Paul Frölich em 1939, que imortalizou sua luta comunista, é traduzida e publicada em português pela primeira vez.

Resgatar o legado de Rosa Luxemburgo, uma das mais importantes revolucionárias da história, é uma tarefa indispensável para nossa época, momento em que a burguesia busca descarregar a crise nas costas dos trabalhadores e oprimidos, patrocina enormes falsificações, como a série do Trotsky pela Netflix, e em que os organismos políticos construídos pelos trabalhadores estão cooptados pelo Estado capitalista.

Rosa foi a primeira a denunciar a burocratização da Socialdemocracia Alemã, antes da votação dos créditos de guerra em 1914, que lança por terra a máxima marxista que conclamava os trabalhadores do mundo a unirem-se. Munida da clareza teórica que a fez perceber a derrocada da Social-democracia e de uma vontade inquebrantável, Rosa Luxemburgo debate dura e decididamente por suas posições, fundando em 1918 o Partido Comunista Alemão (KPD) ao lado de Karl Liebknecht, Franz Mehring e Clara Zetkin.

Após o assassinato de Rosa em 1919 pelas mãos do governo Social-democrata de Gustav Noske, Paul Frölich foi o encarregado pelo KPD de resgatar as obras marxistas de Rosa Luxemburgo, um dos motivos pelos quais é expulso em 1928 pela perseguição stalinista contra os revolucionários no interior dos Partidos Comunistas. Antes de se exilar pela guerra, Frölich escreve essa biografia de Rosa Luxemburgo. Sua chegada ao Brasil, em português, vai de encontro à necessidade das novas gerações de se apropriarem da vida e obra de Rosa como inspiração aos desafios que se colocam no Brasil governado por Bolsonaro e marcado por profundos ataques, frente ao qual distintas saídas estão em debate.

Debatedoras:

Isabel Loureiro
Professora do Departamento de Filosofia da Unesp (de 1981 a 2003), autora de Rosa Luxemburgo e o dilema da ação revolucionária e organizadora de Rosa Luxemburgo: textos escolhidos.

Diana Assunção
Trabalhadora da USP, historiadora pela PUC-SP, fundadora do Grupo de Mulheres Pão e Rosas no Brasil e organizadora dos livros Lutadoras – histórias de mulheres que fizeram história e Precarização tem rosto de mulher.




Tópicos relacionados

Livro   /    Rosa Luxemburgo   /    Unicamp

Comentários

Comentar