Juventude

TERCEIRIZAÇÃO

Basta de perseguição: CADI repudia demissão de terceirizado da Unicamp que falou em assembleia

A reitoria da Unicamp demitiu um trabalhador terceirizado, hoje (18), alegando justa causa. A demissão faz parte do plano da reitoria de descarregar a crise nas costas deste setor já muito precarizado, levando a frente um plano que envolve o desligamento de mais de 330 trabalhadores.

sexta-feira 18 de outubro| Edição do dia

A reitoria da Unicamp está com um plano de demissão de 330 trabalhadores terceirizados como consequência da CPI das universidades e com o fim da licitação da Funcamp (fundação da Unicamp responsável pelo trabalho terceirizado na universidade).

O que já era um absurdo, hoje se aprofunda com a demissão de Sidney. Um trabalhador terceirizado da Funcamp que com toda coragem ousou falar na assembleia universitária de 3 setores escancarando o papel hipócrita e reacionário da reitoria da Unicamp que se diz democrática, mas quer demitir 330 trabalhadores. Agora demite um trabalhador por falar em assembleia, alegando justa causa em sua demissão, o que leva o trabalhador a perder quase todos seus direitos.

Nós da juventude Faísca, desde o CADI da UFRGS (Centro Acadêmico Dionísio - Teatro), que entrou em campanha pela defesa dos terceirizados e sua efetivação imediata sem necessidade de concurso, repudia o absurdo desse plano de mais de 330 demissões e exige a reincorporação imediata de Sidney Alex da Silva. Nenhuma família na rua!




Tópicos relacionados

Teatro UFRGS   /    Demissão   /    UFRGS   /    efetivação terceirizados sem concurso   /    Unicamp   /    Terceirização   /    Juventude

Comentários

Comentar