Mundo Operário

DEFESA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Ato em defesa do HU e Cseb reúne trabalhadores, estudantes e comunidade em torno da luta pela saúde

Patricia Galvão

Trabalhadora da USP e integrante da Secretaria de Mulheres do SINTUSP

quarta-feira 8 de abril de 2015| Edição do dia

Ontem, 07 de abril, no dia mundial da saúde, trabalhadores, estudantes e moradores da Zona Oeste se manifestaram contra do desmonte do Hospital universitário da USP e a desvinculação do Centro de Saúde Escola Butantã. O ato foi chamado por diversas entidades representativas da Z O, como o Fórum popular de Saúde, o Simesp, o Núcleo de Estudantes da Saúde e o Sintusp, além de representantes do conselho gestor de saúde do Butantã e movimentos populares da região.

Os manifestantes reunidos desde às 10h seguiram em passeata pela avenida Rio Pequeno, em seguida pela avenida Corifeu de Azevedo Marques, adentrando o hospital universitário e seguindo até a Reitoria da USP. Aos gritos de “saúde não é mercadoria”, denunciavam o fechamento de 56 leitos de UTI, além do fechamento de centenas de postos de trabalhos devido a implementação do PIDV (Plano de Demissão Voluntária).

Como já denunciado aqui no ED a situação da saúde na região é bastante precária e afeta principalmente a população mais carente de recursos. Se pensarmos que a USP é uma das universidades mais elitistas do país e, ao mesmo tempo, é mantida com os impostos pagos pela população, o ICMS, é um contrassenso uma universidade sustentada pelo povo fechar suas portas às suas demandas.

Desde que assumiu a reitoria, a gestão de Marco Antonio Zago já se provou avessa ao diálogo e a qualquer tentativa de atender as demandas de trabalhadores, estudantes e população. Ao contrário, o projeto do reitor é elitizar ainda mais a universidade, seja cortando verbas que garantem a permanência estudantil, seja limitando o acesso a saúde através dos hospitais universitários.

A manifestação de ontem foi uma pequena mostra da força da união entre trabalhadores, estudantes e população em defesa de direitos tão básicos e tão essenciais como a saúde. É somente a partir dessa união que poderemos transformar a realidade e avançarmos por direitos. A luta contra a desvinculação do Cseb, o desmonte do HU e da própria universidade seguirá cada dia fortalecida pelas alianças aprofundadas a partir de atos como este.




Tópicos relacionados

USP   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar