×

29M EM CAMPINA GRANDE, PB | Ato do 29 de Maio em Campina Grande contra o governo Bolsonaro

Na manhã do sábado (29 de Maio de 2021), seguindo manifestação nacional do 29M , foi realizado em Campina Grande, no Estado da Paraíba, um ato contra o governo Bolsonaro.

sábado 29 de maio | Edição do dia

Imagem: Redação Esquerda Diário.

Organizada por um conjunto heterogêneo de organizações políticas e sindicais, em particular da área de trabalhadores da saúde e da educação, além de estudantes e setores populares. Foi gerado um importante fato político com uns 300 manifestantes.

A manifestação, que seguiu os protocolos sanitários quanto ao distanciamento e uso de equipamentos de proteção individual, como máscaras e álcool em gel, se concentrou às 9.30 horas da manhã na praça da bandeira, centro da cidade.

Da praça da bandeira, os manifestantes se locomoveram pelas principais ruas e avenidas do centro da cidade, com palavras de ordem e cartazes. Desde o Esquerda Diário e o Movimento Revolucionário dos Trabalhadores (MRT) distribuímos cartazes e panfletos com os dizeres de: FORA BOLSONARO, MOURÃO E MILITARES! CONTRA O STF E CONGRESSO GOLPISTAS POR UMA NOVA CONSTITUINTE LIVRE E SOBERANA IMPOSTA PELA LUTA! como podemos observar nas imagens a seguir:




Após percurso pelas principais ruas e avenidas do centro da cidade, o ato teve finalização no viaduto da cidade.

O tom geral do ato foi o Fora Bolsonaro. Para o momento, consideramos que foi um avanço ocorrer um ato presencial desse porte, contra aqueles que defendem que aguardemos até o 2022 como o Partido dos Trabalhadores e a CUT, ou setores do PSOL.

Desde Esquerda Diário entendemos que não é possível aguardar passivamente até 2022 e que além de Bolsonaro, é preciso acabar com o regime do golpe no seu conjunto: Mourão os militares e os golpistas, para que possamos promover uma Constituinte Livre e Soberana imposta pela luta sem nenhuma ilusão dos aparelhos golpistas como o STF e legislativo, que teatralizam a CPI da Covid-19 , enquanto aplicam duros golpes contra a classe trabalhadora. Para isso é preciso a unidade pela base para superar as burocracias e entender este 29M como parte de um plano de lutas que necessariamente tem que ter continuidade.

Enquanto a classe trabalhadora anseia por mudanças profundas, o PT e o PSOL, na véspera do 29M mostraram suas verdadeiras faces, nos mostrando que não servem de fato para defender os interesses da classe trabalhadora. No caso do PT, o vice-presidente do partido Washington Quaquá, atacou as manifestações argumentando que não havia coerência para realizar os atos contra o governo.

Veja mais: Vice-presidente do PT ataca atos do 29M depois de articular alianças com bolsonaristas

Já no caso do PSOL, em Recife (PE), o Diretório Estadual do partido, além do Diretório Central dos Estudantes da UPE, decidiram publicar notas em plena sexta à noite orientando aos estudantes a não irem no ato.

Veja mais em: Na véspera do 29M e por fora das assembleias, PSOL-PE tenta desmobilizar. Todos ao ato!

É evidente que a pandemia é uma realidade, mas, sem nenhuma ação efetiva, acumularemos mais e mais mortes, porque, igualmente ao que tem ocorrido na Colômbia, o governo brasileiro também é mais perigoso que o vírus, e isso já está demonstrado nas diversas manifestações de Bolsonaro, na recusa em imunizar as pessoas e na política de morte praticada pelo governo.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias