×

Censura | Após ordem arbitrária do STF, Twitter derruba conta do PCO que segue sofrendo perseguição

Conta foi derrubada após a ordem do ministro Alexandre de Moraes na segunda (20) para bloquear todas as redes sociais do PCO, dando continuidade a escalada perseguição do judiciário arbitrário contra essa organização de esquerda.

quarta-feira 22 de junho | Edição do dia

Na tarde desta quarta (22) o Twitter derrubou a conta oficial do Partido da Causa Operária (PCO) sob ordem judicial arbitrária do ministro do STF, Alexandre de Moraes, que vem escalando a perseguição a essa organização de esquerda nas últimas semanas. O ministro havia determinado no dia 20 de junho que as redes sociais do Facebook, Instagram, Twitter, Youtube, Telegram, Tik Tok bloquearem os canais do PCO dentro de 24h sob pena de pagar multa diária de 20 mil reais.

Supostamente investigando o bolsonarismo por ataques ao STF, o inquérito das fake news mantém sua mira ativa às organizações de esquerda, como é o caso agora do PCO. Sendo consequente com seu caráter autoritário e golpista, o STF aponta suas armas contra a esquerda.

O STF foi um agente central na manipulação das eleições de 2018, dando continuidade ao Golpe Institucional de 2016 e da prisão arbitrária de Lula. Sendo consequente com seu caráter autoritário e golpista, o STF aponta suas armas contra a esquerda. Assim como fez com as perseguições aos ativistas que se manifestam contra Bolsonaro, chamando-o de genocída, e o Supremo se utilizou da reacionária Lei de Segurança Nacional, herdada da ditadura para prender esses manifestantes.

É por isso que, para enfrentar o bolsonarismo e a extrema-direita, não podemos depositar nenhuma confiança em nenhuma das instituições desse regime degradado, inimigos declarados da esquerda e da classe trabalhadora e povo pobre. Só podemos confiar na força independente da classe trabalhadora para derrotar o autoritarismo do STF e qualquer medida de censura, bem como para batalhar por todos os nossos direitos.

Sobre a escalada de perseguição ao PCO, Marcello Pablito, dirigente nacional do MRT, declarou:

"Repudiamos mais uma vez a perseguição do STF contra o PCO. Essa ação é mais uma mostra cabal da arbitrariedade de toga, que intimida o dirigente do partido e também ataca e censura seus canais e perfis oficiais nas redes sociais. Nós do MRT repudiamos essa perseguição política e o autoritarismo do STF".




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias