Política

CRISE DO SETOR AÉREO

Após lucros históricos, Cias áreas cobram dos aeroviários a conta da crise com demissões

Os trabalhadores efetivos e terceirizados da aviação têm enfrentado a ganância das empresas aéreas que insistem em descarregar nas costas deles os custos da crise do setor frente a pandemia do Coronavírus. Após lucrarem como nunca na alta temporada as empresas aéreas e terceirizadas agora coagem e assediam trabalhadores para aceitarem demissão em massa e até afastamento sem salários, e os que ficam, trabalham sem os equipamentos de segurança e higiene adequados.

sexta-feira 27 de março| Edição do dia

O Esquerda Diário e a Juventude Faísca - AntiCapitalista estiveram presente nas panfletagens em apoio a luta dos aeroviários nos aeroportos.
Abaixo o conteúdo do panfleto distribuído para trabalhadores aeroviários terceirizados e efetivos das cias aéreas:

*

O Coronavírus está afetando a vida das pessoas, a economia e os governos, mas será que todo o problema está no vírus? Que um vírus ameace a saúde humana pode acontecer, o que não é aceitável é que nossa sociedade não seja capaz de combatê-lo devido à ganância e a sede de lucro de meia dúzia de capitalistas.


Essa catástrofe foi construída pelos próprios governos capitalistas e empresas

Bolsonaro esteve a frente dos cortes na saúde e educação, da reforma da previdência e piora das condições de trabalho, mas também Rodrigo Maia, João Dória e todos esses setores foram grandes apoiadores da privatização e retirada dos direitos trabalhistas, aprofundando os ataques que o PT não conseguiu realizar.

Após lucros exorbitantes, empresas áreas querem que trabalhador pague pela crise

Sabemos que as grandes cias aéreas do Brasil lucraram muito nas ultimas temporadas, e agora tentam jogar o prejuízo para nós, trabalhadores. Só a LATAM no final de 2019 lucrou US$268,9 milhões e agora quer que nós paguemos a crise? Quantos empregos terceirizados e efetivos serão cortados enquanto os acionistas da aviação não mexem em um centavo do seu capital acumulado, e ainda nos obrigam a condições absurdas de trabalho, expostos ao vírus, com redução de salário ou as absurdas propostas de licença não remunerada e afastamentos compulsórios.

Bolsonaro e Guedes: liberam 68 bi. aos bancos e aos trabalhadores propõe licença sem salário

O governo Bolsonaro e de Paulo Guedes, por sua vez, só pensam em garantir os lucros dos empresários mesmo que isso custe literalmente nossas vidas. Enquanto discordam da OMS que testes em massa é a melhor forma de controlar a pandemia para não gastar com saúde, o governo ainda tentou aprovar uma MP nessa semana que permitia que as empresas dispensassem os funcionários e não pagassem salário.


E se os trabalhadores tomassem a frente para resolver a crise?

Essa crise esta mostrando que quem de fato faz o mundo girar são os trabalhadores, então nós mesmos podemos dar uma resposta a essa crise. As fabricas poderiam readequar sua produção, parando de produzir para o lucro de alguns empresários, e começar a produzir respiradores mecânico, mascaras e álcool em gel para distribuir para a população.

"se viermos trabalhar em condições sadias para produzir itens que ajudem a combater o COVID19, viríamos com orgulho" diz funcionário da Airbus na França. A central sindical francesa, CGT aprovou a exigência dos trabalhadores que a Airbus doe as máscaras que tem consigo para os trabalhadores da Saúde, na linha de frente do combate ao Coronavírus, e também era realizar uma enquete sobre a reconversão da produção da empresa para fabricar ventiladores e respiradores mecânicos para as UTIs.

A aviação poderia ajudar a combater a pandemia do Coronavírus se fosse utilizada para o transporte de insumos medicinais, equipamentos respiratórios, alimentos e todo tipo de carga para hospitais e centros de pesquisa além de ter papel de transporte humanitário para os brasileiros e estrangeiros até condições seguras para seus países.

Será que é “todos juntos”, mesmo?

As empresas dizem que estão em crise, mas nenhuma apresenta realmente as contas de seu capital acumulado, fazem parecer que todos estamos juntos e todos precisam se sacrificar, contudo são só os trabalhadores que se sacrificam. Os altos cargos das empresas, os juízes, políticos, a elite financeira e empresarial pode fazer sua quarentena em casa, tranqüilos que seguirão sua vida de riqueza. Enquanto os trabalhadores vivem o drama da doença e do medo do desemprego. Não, não estamos todos juntos.

Por que o Coronavirus afeta mais a vida das mulheres

O machismo que obriga a mulher a cumprir os trabalhos domésticos e de cuidado, que desvaloriza o trabalho feminino, também é o que as deixa mais exposta ao vírus. As categorias como enfermeiras e limpeza, são em sua maioria feminina e estão completamente expostas. Mas, além disso, muitas mães são solteiras, cuidam das casas e com a liberação das aulas não tem onde deixar os filhos, precisam fazer comida, cuidar da casa e trabalhar cumprindo duplas jornadas de trabalho. A pandemia mostra como o patriarcado e o capitalismo andam lado a lado para explorar e oprimir as mulheres.


6 medidas para combater a pandemia do Corona vírus

1 – PROIBIÇÃO DE DEMISSÕES ENQUANTO DURE A EPIDEMIA E COBERTURA DE 100% DOS SALÁRIOS E DIREITOS DE TODOS AFASTADOS - Não podemos aceitar os governos liberando dinheiro para salvar os capitalistas e que a crise seja novamente descarregada nas costas dos trabalhadores e do povo pobre.

2 – TESTES MASSIVOS PARA TODOS OS QUE QUEIRAM - Os governos seguem impedindo os testes massivos, que são fundamentais para conter a doença, inclusive para identificar os assintomáticos.

3 – MULTIPLICAR URGENTE OS LEITOS DE UTI COM RESPIRADORES - o isolamento cumpre um papel, mas é impossível evitar mortes com 2,2 leitos por 10mil habitantes. No SUS é somente 1 leito para 10 mil, na Itália tem 3,4.

4 – SUS 100% ESTATAL E CENTRALIZAÇÃO DE TODO O SISTEMA DE SAÚDE SOB CONTROLE DOS TRABALHADORES DA SAÚDE, INCLUINDO TODA A REDE PRIVADA – Essa crise mostra o absurdo que é a saúde transformada em mercadoria e privatizada, colocada a serviço dos lucros e não da saúde das pessoas. Só será possível responder a esse tipo de crise com a expropriação dos empresários da saúde, e tirando o controle das mãos dos governos.

5 – - EXPROPRIAÇÃO SOB CONTROLE DOS TRABALHADORES DE TODA EMPRESA QUE POSSA ESTAR EM FUNÇÃO DESSE PLANO DE EMERGÊNCIA - Não podemos aceitar que os produtos básicos de combate ao vírus estejam esgotando e caríssimos, que não haja respiradores e leitos.

6 – IMPOSTOS PROGRESSIVOS COBRADOS SOBRE AS GRANDES FORTUNAS E FIM DA PEC DO TETO DOS GASTOS E PELO NÃO PAGAMENTO DA DÍVIDA PÚBLICA - Parem imediatamente de sangrar a economia nacional com o pagamento da ilegal, ilegítima e fraudulenta dívida pública que arruína nosso país para benefício dos imperialistas e banqueiros.

Aeroviário: envie sua denúncia das condições de trabalho para nós. Garantimos o absoluto anonimato de uma mídia independente dos patrões produzida por outros trabalhadores.

Contato: [email protected]




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Paulo Guedes   /    Abaixo as demissões na Latam!   /    Guarulhos   /    Aeroportos   /    Jair Bolsonaro   /    Demissões   /    Terceirização   /    Política   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar