Mundo Operário

GREVE DOS RODOVIÁRIOS DE SÃO PAULO

Após demonstração de força, rodoviários encerram a greve em SP

Os rodoviários encerraram greve iniciada quarta-feira e que paralisou pontos importantes da cidade também nesta sexta. Até o inicio da tarde, 22 linhas estavam sem circulação.

sábado 7 de setembro| Edição do dia

Imagem: Photo Premium/ Agencia O Globo

O sindicato e as empresas chegarem a um acordo em que as empresas se comprometeram em pagar a participação nos lucros até a quarta-feira da semana que vem.

A greve se deu contra o desmonte do setor, com a redução da frota e reorganização realizada pelas patronais que já teria tirado 450 veículos de circulação, e o fim da função de cobrador, um objetivo dos empresários que praticamente já se concretizou em outras capitais, como o Rio de Janeiro.

O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) de forma autoritária e favorecendo a patronal, determinou que se mantenha o funcionamento de no mínimo 70% da frota nos horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e de 50% nos demais horários, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento. A empresa de ônibus quer precarizar a vida dos motoristas e cobradores e vem em um conluio com o governador para descarregar a crise nas costas dos trabalhadores.

Nós do Esquerda Diário prestamos todo o nosso apoio e solidariedade com os cobradores e motoristas que mostraram sua força e capacidade de mobilização para parar São Paulo contra o governo e os patrões.

A força dos trabalhadores foi novamente contida pelo sindicato. A direção ultra burocrática, aliada com partidos burgueses, como o bolsonarista do PSC, Valdevan Noventa já demonstrou mais de uma vez que não merece confiança dos rodoviários. Foi assim na Greve Geral de 14 de junho, em que a participação de uma categoria estratégica foi retirada no último momento antes do início da greve, fragilizando a luta contra a reforma da previdência nacionalmente.




Tópicos relacionados

Greve de Rodoviários de SP   /    Bruno Covas   /    Greve   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar