www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Domingo 18 de Abril de 2021
20:34 hs.

Twitter Faceboock
A esposa de Alexei Navalny, líder da oposição russa, foi presa durante uma marcha por sua libertação
Redação

A prisão aconteceu neste sábado durante a repressão do regime de Putin aos protestos realizados simultaneamente em diferentes cidades do país. Houve mais de 1000 prisões.

Ver online

Yulia Navalnaya, esposa do mais importante adversário do presidente Vladimir Putin, foi detida em Moscou em meio às marchas que ocorreram em todo o país pela libertação de seu marido. Nessas mobilizações, reprimidas pelas forças de segurança, houveram mais de 1.000 detidos, 300 deles na capital russa.

Alexei Navalny, de tendência liberal e “anticorrupção” que lidera o partido Rússia do Futuro, foi preso em 17 de janeiro sob a desculpa de que não havia cumprido as condições de uma sentença de prisão suspensa de 3,5 anos emitida contra ele em 2014 e declarada ilegal pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

A prisão ocorreu no mesmo dia em que voltou da Alemanha para a Rússia, onde se recuperava do envenenamento que sofreu em agosto de 2020 por ordem do presidente russo, Vladimir Putin, segundo seus parentes. A versão do envenenamento foi endossada por autoridades políticas e de saúde alemãs, incluindo a própria chanceler Angela Merkel, que pediu explicações urgentes ao governo russo.

Por sua vez, Putin respondeu pedindo provas da acusação. A defesa de Putin é duvidosa, pois vem de um regime altamente autoritário que reprime qualquer mobilização da oposição e persegue seus oponentes na mídia, judicial e até fisicamente (com envenenamentos e assassinatos).

Na manifestação em Moscou, as forças de segurança começaram com as prisões antes mesmo do início da convocação e depois de duas horas de repressão e prisões, a Praça Púshkinskaya estava vazia.

"Desculpe pela má qualidade. Há uma luz muito fraca dentro da van da polícia", escreveu a esposa de Navalny sob uma foto dela nas redes sociais. Durante a repressão na praça, houveram cerca de 300 detidos, incluindo um aliado muito próximo do líder da oposição, Liubov Sobol, político e advogado do Fundo de Combate à Corrupção (FBK) criado por Navalny.

O portal OVD-info, especializado no monitoramento de prisões, informou que dezenas de milhares de pessoas se manifestaram em mais de 90 cidades e que as forças repressivas realizaram pelo menos 1.090 prisões.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
[email protected]
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui