www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Lunes 19 de Agosto de 2019
19:04 hs.

Twitter Faceboock
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Para comprar voto da bancada evangélica na reforma, Bolsonaro dá milhões para igrejas
Redação
Ver online

Para garantir apoio dos parlamentares da bancada evangélica, Bolsonaro reduz obrigações fiscais de igrejas. A dívida das entidades religiosas com a Receita Federal passa de 453 milhões de reais atualmente.

A bancada evangélica compôs grande parte da base de eleitores que ajudou o pesselista a se eleger em 2018. No entanto, nesses seis primeiros meses de mandato, o presidente não "agradou" muito esse setor no congresso.

O presidente que foi eleito com o discurso anticorrupção, essa semana tem dado grandes exemplo de barganhas para garantir a votação da Reforma da Previdência. Ainda que ele negue que a redução de obrigações fiscais para as igrejas e seja uma barganha, é escandaloso e inegável que suas práticas são as mesmas de presidentes que o antecederam e que ele chama de "a velha política". As dívidas das igrejas com a Receita Federal chegam 453,3 milhões de reais atualmente. Destes, R$ 12,5 milhões são multas por descumprimento das “obrigações acessórias”, que seriam o montante perdoado pelo governo para "azeitar" seu apoio à reforma. Outras medidas a serem adotadas são p fim da obrigação de igrejas menores de se inscreverem no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), já editada pela Receita; e a elevação (de 1,2 milhão para 4,8 milhões de reais) do piso de arrecadação para que uma igreja seja obrigada a informar suas movimentações financeiras diárias.

Essas medidas foram decididas em reunião do presidente com as presenças do deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), aliado do pastor Silas Malafaia, Silas Câmara (PRB-AM), Marco Feliciano (Pode-SP) e Otoni de Paula (PSC-RJ). Bolsonaro deu um prazo de dois meses para o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, atender aos parlamentares que exigem o perdão das multas cobradas de entidades religiosas.

Essa Reforma quer fazer os trabalhadores trabalharem até morrer, para seguir pagando a dívida pública que abocanha 1 trilhão por ano do orçamento público. A mídia burguesa essa semana vem reforçando bastante o quanto é importante aprovar essa reforma, o que é uma mentira para seguir descarregando a crise dos capitalistas nas costas dos trabalhadores.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui