www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Jueves 24 de Octubre de 2019
00:07 hs.

Twitter Faceboock
PROTESTOS NA FRANÇA
Coletes amarelos radicalizados: derrubaram a porta do escritório do porta voz de Macron
Julien Anchaing
Ver online

“O movimento dos coletes amarelos se converteu em um trabalho de agitadores que querem derrotar o governo”. Se apropriando da sugestão de Benjamin Griveaux, secretário do Estado e porta voz do governo francês, os coletes amarelos, no sábado, destruíram a porta do seu escritório forçando uma evacuação de emergência.

Além dessa ação radical que representa uma crise para o Estado ao ver uma de suas instituições diretamente questionada, os coletes amarelos desafiaram a quietude que tanto rodeava o governo.

Benjamin Griveaux é um porta voz a imagem e semelhança de seu governo, representante das políticas ajustadoras e do desprezo da classe que contém as declarações do presidente Macron. Assim Griveaux recebeu uma resposta contundente a suas últimas declarações: “Os agitadores que querem a insurreição”, “o governo está controlando a situação”, e que o governo “já respondeu a todas as demandas dos coletes amarelos”.

No meio do oitavo ato de mobilização dos coletes amarelos em todo país com ações radicais como uma ofensiva sobre a Assembleia Nacional e a construção de barricadas em varias cidades como em Caen, o ataque ao escritório de Estado, Griveaux, foram expressão de uma crise para o Estado francês que mostra sua impotência frente a situação política atual.

Tomando emprestado uma caminhonete de construção pública um grupo de coletes amarelos irrompeu em uma das principais instituições do atual governo forçando uma evacuação de emergência de Griveaux. É uma importante crise de legitimidade para as instituições de poder francesas que tentaram se mostrar como “defensores da República Francesa e de toda França”.

Entrando rapidamente no ministério os coletes amarelos saíram em minutos para não serem identificados ou detidos. A ação foi parte das mobilizações que se davam em todo o país, e apareceu como um dos feitos mais radicais que teve o movimento deste sábado, ainda que o governo apostasse na possibilidade de impor uma estratégia de institucionalização do movimento mediante o chamado a um “Grande Debate Nacional”.

Em Paris se organizavam barricadas, em Lyon se bloqueou a passagem de uma das principais rodovias do país (A7), em Bordeaux mais de 10.000 pessoas se mobilizaram. Uma radicalização e a volta às ruas de setores ausentes durante os feriados (de Natal e ano novo) que demonstram que o movimento conseguiu transcender a 2019.

Depois de um sábado quente para o governo no domingo se organizou uma marcha de mulheres em todos país onde, sobretudo em Paris, se mobilizaram organizaras com os coletes amarelos contra a repressão com a presença de setores de mulheres precarizadas, trabalhadoras e donas de casas. Marchando até a Bastilha as organizadoras recordaram que “durante a Revolução Francesa as mulheres abriam colunas para irem buscar o rei”.

Entre meios de radicalização e de expansão a setores aliados o movimento dos coletes amarelos segue buscando seu caminho consciente de seu limite estrutural de falta de organização, sem porta vozes eleitos e com demandas muito heterogêneas. Sem duvida, em Toulouse, se expressou uma vontade de romper com esse limite importante: os coletes amarelos organizaram uma assembleia geral que tinha como objetivo denunciar a absoluta ausência dos sindicatos do movimento atual. A assembleia de mais de 200 pessoas decidiu uma ação de questionamento aos sindicatos com a consigna “todos juntos até a greve geral.”

“Debaixo do colete amarelo somos muitas vozes, trabalhadores, desempregados, demitidos, precarizados, mães solteiras, etc...” com varias consignas chamamos os ativistas sindicais mais combativos e convencidos da necessidade de coordenação com os coletes amarelos para lutar pela participação de suas organizações e a construção de uma greve geral, contra a passividade que impõem as direções sindicais. Mais uma demonstração por parte dos coletes amarelos da urgência de coordenar com o movimento operário organizado.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui