www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Lunes 15 de Octubre de 2018
05:28 hs.

Twitter Faceboock
ELEIÇÕES 2018
Bolsonaro escondeu R$2,6 milhões em bens da justiça eleitoral
Redação

Apesar de sempre tentar se vender como "não corrupto", Bolsonaro foi pego escondendo milhões em bens da justiça eleitoral nas eleições deste ano. Dois imóveis não declarados ao TSE pelo candidato ultra reacionário à presidência vem à tona que totalizam mais de R$2 milhões de reais.

Ver online

No último dia 28, o jornal O Globo fez uma denúncia sobre o patrimônio de Jair Bolsonaro: o candidato reacionário tido para muitos como paladino da ética, omitiu do público nessas eleições duas casas que teriam valor estimado de 2,6 milhões de reais.

O jornal conseguiu essas informações cruzando informações de cartório e checando outros bens. Em 2002, Bolsonaro comprou um imóvel com sua mulher na Barra da Tijuca: a casa custava em torno de 1,6 milhão. Quando se separou dela em 2008 foi realizada a separação de bens, entretanto, esse imóvel não aparece na declaração de bens do candidato de sua campanha em 2006, que declarou apenas 433 mil reais de patrimônio.

Após a separação virou o dono isolado do imóvel, vendendo em setembro de 2009. Após isso comprou uma outra casa declarando ter pago cerca de 400 mil em um imóvel avaliado em R$1,05 milhão. Este imóvel não foi declarado ao TSE na campanha de 2010 e só foi aparecer em 2014, somente após denúncia na mídia.

No processo de divisão de bens promovido pela ex-mulher, constam outros nove bens que não foram declarados para o TSE, como imóveis e uma caminhonete Land Rover. Além disso, uma série de bens declarados por Bolsonaro não estão de acordo com o que consta no processo da divisão, como um jet-ski Yamaha ano 2006, que só consta na declaração de 2014 como se fosse de 2010. Em 2006, a declaração de bens constavam só 433 mil reais de patrimônio. Porém o patrimônio do casal era de 4 milhões na época.

Jair Bolsonaro faz grande propaganda de uma suposta "moral" em sua campanha, tentando se afastar de supostos escândalos envolvendo corrupção e fraudes, porém, não é a primeira vez que Jair Bolsonaro e sua família é pega manipulando as declarações de bens: Eduardo Bolsonaro protagonizou um recente escândalo na internet ao vir à tona que o patrimônio do deputado cresceu 432% em seus 4 anos no cargo. Além disso, Bolsonaro também protagonizou nessas mesma eleições o caso da "Val": funcionária fantasma de Jair Bolsonaro, que vendia açaí em Angra dos Reis.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
Subscreva-se com uma mensagem de Whatsapp por seu celular
+(19) 981967381
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui