www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Martes 16 de Octubre de 2018
12:16 hs.

Twitter Faceboock
CONFLITO ISRAEL-PALESTINA
Brutal repressão de Israel mata 43 palestinos em protesto contra mudança da embaixada dos EUA
Fernanda Peluci
Metroviária de São Paulo e militante do Movimento Nossa Classe e Pão e Rosas

A manifestação que reuniu milhares de palestinos se coloca contra a mudança da embaixada americana de Tal Aviv, capital israelense, para Jerusalém. Já é o dia mais sangrento com maior número de mortos em conflitos na região desde 2014.

Ver online

Chega a 43 mortos já anunciados até o fechamento desta matéria frente à brutal repressão exercida pelo Estado de Israel contra palestinos na fronteira entre a faixa de Gaza e Israel na manhã desta segunda-feira, 14. Mais de 1700 pessoas ficaram feridas, ao menos 27 em estado grave e centenas de feridos por tiros de armas de fogo.

A manifestação que reuniu milhares de palestinos se coloca contra a mudança da embaixada americana de Tal Aviv, capital israelense, para Jerusalém, em uma clara provocação do governo dos EUA no dia do aniversário de 70 anos da criação artificial do Estado de Israel.

De acordo com o Ministério da Saúde de Gaza, no dia de hoje dois meninos foram queimados vivos, um de 12 anos e outro de 14 anos. O ministério disse que pelo menos 448 palestinos foram baleados, enquanto outras centenas sofreram outros tipos de lesões.

Em dezembro Trump reconheceu formalmente Jerusalém como capital do Estado de Israel, e a transferência da embaixada para este território historicamente em disputa se coloca hoje como uma tentativa de avanço importante do imperialismo norte-americano a partir de sua ocupação sangrenta e ilegal contra o povo palestino, e uma provocação aberta contra o povo palestino que considera Jerusalém como a capital do futuro estado próprio, avançando Trump qualitativamente agora em conflitos ainda mais incendiários no Oriente Médio.


(Foto: Mohammed Salem/Reuters)


(Foto: Mahmud Hams/AFP)

Segundo a agência de notícias Associated Press o número de mortos hoje já é o maior e mais violento num mesmo dia em confrontos entre Israel e palestinos desde 2014. Os palestinos programam para amanhã, terça-feira, um novo protesto contra a criação do Estado de Israel, chamado de "Nakba" ("tragédia"), quando 700 mil palestinos foram expulsos da região, dia 14 de maio de 1948, há 70 anos.

Apesar dos enormes protestos que reuniram milhares de palestinos hoje contra a transferência da embaixada, o governo dos EUA mantem a decisão provocadora da transferência da embaixada até o momento. Repudiamos fortemente esta reacionária medida de Trump e este brutal massacre contra o povo palestino e nos solidarizamos à sua luta pelo direito à sua terra e ao retorno de todos os refugiados expulsos.

LEIA TAMBÉM
- Trump reconhece Jerusalem como a capital de Israel: um incendiário na Casa Branca
- Por que apoiar a luta dos palestinos é imprescindível
- Tensão no Oriente médio: Irã ameaça atacar principais cidades de Israel

(Foto da capa: Ibraheem Abu Mustafa/Reuters)

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
Subscreva-se com uma mensagem de Whatsapp por seu celular
+(19) 981967381
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui