www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Viernes 28 de Julio de 2017
12:00 hs.

Twitter Faceboock
REFORMA TRABALHISTA
Como era a exploração do trabalho na aurora da Revolução Industrial?
Esquerda Diário
Ver online

Reproduzimos entrevista de um inspetor de fábrica na Inglaterra a trabalhadores, em meados do século XVIII, publicado por Amauri Mascaro Nascimento em “A indignação do trabalho subordinado” (Curso de Direito do Trabalho, Saraiva, São Paulo,1992, pág. 11-12.)

***

1. Pergunta: A que horas vão as menores à fábrica?
Resposta: Durante seis semanas foram às três horas da manhã e voltaram às dez horas da noite.

2. Pergunta: Quais os intervalos concedidos durante as dezenove horas, para descansar ou comer?

Resposta: Quinze minutos para o desjejum, meia hora para o almoço e quinze minutos para beber.

3. Pergunta: Tinha muita dificuldade para despertar suas filhas?

Resposta: Sim. A princípio, tínhamos que sacudi-las para despertá-las e se levantarem, bem como vestirem-se antes ir ao trabalho.

4. Pergunta: Quanto tempo dormiam?

Resposta: Nunca se deitavam antes das onze horas, depois de lhes dar algo que comer, e então, minha mulher passava toda a noite em vigília ante o temor de não despertá-las na hora certa.

5. Pergunta: A que horas eram despertadas?

Resposta: Geralmente, minha mulher e eu nos levantávamos às duas horas da manhã para vesti-las.

6. Pergunta: Então, somente tinham quatro horas de repouso?

Resposta: Escassamente quatro.

7. Pergunta: Quanto tempo durou essa situação?

Resposta: Umas seis semanas.

8. Pergunta: Trabalhavam desde as seis horas da manhã até às oito e meia da noite?

Resposta: Sim, é isso.

9. Pergunta: As menores estavam cansadas com esse regime?

Reposta: Sim, muito. Mais de uma vez ficaram adormecidas com a boca aberta. Era preciso sacudi-las para que comessem.

10. Pergunta: Suas filhas sofreram acidentes?

Resposta: Sim, a maior, a primeira vez que foi trabalhar, prendeu o dedo em uma engrenagem e esteve cinco semanas no hospital de Leeds.

11. Pergunta: Recebeu o salário durante esse tempo?

Resposta: Não, desde o momento do acidente, cessou o salário.

12. Pergunta: Suas filhas foram remuneradas?

Resposta: Sim, ambas.

13. Pergunta: Qual era o salário em semana normal?

Resposta: Três shillings por semana, cada uma.

14. Pergunta: E quando faziam horas suplementares?

Resposta: Três shillings e sete pences e meio.”

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
Subscreva-se com uma mensagem de Whatsapp por seu celular
+55 (11) 9630-2530
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui