www.esquerdadiario.com.br / Veja online / Newsletter
Esquerda Diário
Esquerda Diário

Sábado 16 de Diciembre de 2017
02:09 hs.

Twitter Faceboock
TRIBUNA ABERTA
FASC e Prefeitura querem renovar convênio ilegal de terceirização
Coletivo de aprovados

O uso de convênios com empresas terceirizadas nos órgãos públicos de Porto Alegre atravessa gestões, onde o atual prefeito, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), manteve as mesmas irregularidades do prefeito anterior até então. Trata-se de convênios de trabalho da Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC), que são passados para as mãos de empresas terceirizadas ao invés da efetivação direta pela prefeitura, preenchendo as vagas que abrem com os aprovados no concurso público.

Ver online

A fundação que presta diversos serviços sociais, há sete vem prorrogando um convênio com a Sociedade Meridional de Educação (SOME), ligado a Rede Marista, alegando a necessidade de contratação imediata de profissionais para a atividade fim da fundação. Entretanto, como já anunciado pelo MP em investigação ano passado, a renovação é ilegal dado que já passou de cinco anos de renovação do convênio.

A terceirização desses postos de trabalho permite menores salários e piores condições, o que é visto com bons olhos pelos empresários do ramo e pelos prefeitos. A Procuradoria Geral do Município (PGM), aceitou o pedido alertando que seria possível a renovação, porém, teria que passar pelo Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS). Enquanto centenas de postos de trabalho ficam em aberto, a disputa feita pela FASC é de buscar precarizar ainda mais esse serviço público, com aval dos prefeitos e empresários.

A gestão anterior, do ex-prefeito José Fortunati aprovou a lei 11.701, que trata do reordenamento da FASC, criando 665 cargos a serem preenchidos até 2021. Ao mesmo tempo, foi impulsionado o Plano de Demissão Voluntária (PDV), dando continuidade ao plano da prefeitura. Porém, foi aberto concurso apenas em 2016 e até hoje não foram nomeados, o convênio com a SOME continua sendo prorrogado de forma ilegal e a FASC sendo sucateada.

O órgão representante da prefeitura no caso, a PGM, aponta com sinal positivo para a renovação do convênio já dado como ilegal. O convênio teve sua validade expirada no dia 27/02, o que levou a diretoria da FASC a pressionar o CMAS a aprovar a renovação do convênio. O CMAS acabou não votando a renovação por falta de córum, o que levou a FASC a recorrer a plenária do conselho, marcando a votação para o dia 13/03.

O chamado foi enviado ao Esquerda Diário pelo Coletivo de Aprovados PMPA 2016, formado por várias categorias, chamando para pressionar no dia do conselho pela não renovação do convênio fraudulento e o preenchimento das vagas em aberto com o concurso público. Ocorrerá no dia 13/03 às 14hs, na sede do CMAS, rua Baronesa do Gravataí 700, esquina com av. Ipiranga, 4 andar, ao lado do prédio da FASC.

 
Izquierda Diario
Redes sociais
/ esquerdadiario
@EsquerdaDiario
Subscreva-se com uma mensagem de Whatsapp por seu celular
+55 (11) 9630-2530
contato@esquerdadiario.com.br
www.esquerdadiario.com.br / Avisos e notícias em seu e-mail clique aqui