Política

NOVO QUE JÁ NASCE VELHO

Zema (Novo-MG) sai em defesa de Bolsonaro: ’totalitarismo contra o presidente’

O governador de Minas, Romeu Zema, que se elegeu na onda bolsonarista, faz jus a sua origem e sai em defesa do presidente sobre as manifestações

segunda-feira 20 de abril| Edição do dia

Em seu discurso, o Partido Novo tenta se apresentar como uma nova direita, mais "descolada". No entanto, em sua prática se aliam com que há de mais reacionário e arcaico na política, como nosso presidente Jair Bolsonaro.

O governador Zema, eleito na onda bolsonarista, agora faz jus à suas origens, após um breve momento em que ensaiou uma "pseudo oposição" junto aos outros governadores.

Após se recusar a assinar a carta em defesa do congresso, assinada por outros 20 governadores, Zema saiu em defesa do presidente:

"Agora, é um direito dele se manifestar, nós estamos em uma democracia e temos que lembrar disso. A riqueza da democracia é a diferença de opiniões. E parece que tem pessoas que estão adotando um totalitarismo contra o presidente."

O peculiar disso é que Bolsonaro estava justamente numa manifestação contra a democracia, fato que Zema minimiza, comparando com um "arroto". Para ele tudo não passa de perseguição ao presidente:

"Eu vejo que está havendo um movimento exacerbado, desnecessário, com relação a algumas falas, algumas questões do presidente. Outro dia até brinquei, se o presidente arrotar, vai virar motivo de alguém se manifestar."

E assim, o Novo cada vez vai mostrando sua verdadeira cara, se aliando com o que há de mais nefasto na política brasileira. Assim como Dória, que após os "embates" com Bolsonaro, anunciou hoje que fará um plano de abertura da economia, sem testes nem nada. Estes também apoiaram todos os ataques aos trabalhadores durante a pandemia, como a MP da Morte. Quando o assunto é atacar os trabalhadores, as diferenças entre a direita ficam cada vez mais tênues.




Tópicos relacionados

Romeu Zema   /    Jair Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar