Gênero e sexualidade

VIOLÊNCIA TRANSFÓBICA

Viviany, mulher trans que se crucificou na Parada LGBT é esfaqueada próximo de sua casa

domingo 9 de agosto de 2015| Edição do dia

A atriz transexual Viviane Beleboni, que se crucificou na Parada LGBT deste ano como forma de protesto no país número 1 em assassinatos LGBTs e contra dos fundamentalistas religiosos, foi esfaqueada na noite deste sábado (08/08) perto da sua casa na capital paulista.

Ela foi abordada por um homem na rua e segundo depoimento publicado no facebook “Ele me reconheceu e disse que o que eu fiz não é de Deus”, além de ter sido chamada de demônio antes de ser esfaqueada. No vídeo a jovem coloca a impossibilidade de fazer a denúncia na polícia, pois essa instituição LGBTfóbica e machista apenas legitima a opressão e negará sua identidade de gênero mais uma vez.

A performance de Viviane buscava denunciar a cotidiana crucificação das identidades trans, seja pela moral ou pelos inúmeros assassinatos e agressões. O transfeminicidio continua sendo invisibilizado no país e milhares de travesti morrem todos os anos devido à violência transfóbica, seja pelas mãos de fundamentalistas religiosos ou da polícia assassina.

No ano que a batalha de Stonewall completa 44 anos, precisamos assim como nossas companheiras argentinas construir um grande movimento no Brasil, para dizer que basta de violência machista e transfóbica e que não aceitaremos Nenhuma a menos!




Tópicos relacionados

Homofobia e Transfobia   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar