Mundo Operário

EXPLORAÇÃO

Vendedor sem salário, a reforma trabalhista em loja de Ipanema

sábado 11 de novembro| Edição do dia

Em vários ramos os capitalistas estão começando a utilizar a reforma trabalhista para trucidar direitos. Denúncias mostram isso na indústria em Minas Gerais, em um hospital de São Paulo, mas se destacam as denúncias sobre o comércio.

Segundo o jornalista Bob Fernandes, da TV Gazeta, uma loja de calçados no "distinto" bairro de Ipanema no Rio de Janeiro estaria contratando vendedores sem nenhum tipo de salário garantido.

O post teve grande repercussão na rede social de micro-blogs e nele muitos usuários relataram outros contratos abusivos.

Essa vaga, confirmadas pelo jornalista e por usuários da rede social, não teria nenhum tipo de remuneração fixa, e se o vendedor não vender cerca de R$ 28mil em um mês não receberá sequer o salário mínimo.

A Reforma Trabalhista, novo argumento para chantagem a favor da Reforma da Previdência, como mostrado nessa matéria, precisa ser combatida para garantir os direitos dos trabalhadores, do contrário aumentarão vertiginosamente os lucros ao passo que se formará um exército de trabalhadores registrados mas que recebem abaixo do salário mínimo, retratando no país o que acontece nos EUA e outros países ditos desenvolvidos. Lá, trabalhadores negros, latinos e imigrantes são registrados como intermitentes mas não conseguem ser empregados um número de horas suficientes e precisam recorrer a um auxílio conhecido como "Food Stamp". A nova modalidade de exploração é ser registrado e miserável e não somente pobre.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar