Política

Veja medidas que Doria em 21 dias já aplica contra os trabalhadores e a juventude

Com 21 dias no governo, João Dória (PSDB) não se conteve ao aplicar ataques e medidas absurdas contra os trabalhadores e o povo pobre, além de medidas para aumentar a repressão contra manifestações. Confira nessa matéria algumas mudanças e ajustes absurdos do tucano.

segunda-feira 21 de janeiro| Edição do dia

Seus primeiros dias como governador estão sendo um verdadeiro show de horrores. O antigo prefeito de São Paulo que pintou o maior mural de grafite a céu aberto da América Latina de cinza e que deu ração humana às crianças nas escolas municipais prometeu “privatizar tudo que puder”. Em 21 dias, ele já demitiu 8 mil professores da rede pública e, só em Campinas, deixou 1,5 mil crianças sem aula por se recusar a abrir novos concursos para contratação de educadores.

No início de seu mandato ele anunciou o Coronel da PM Nivaldo César Restivo, que participou do massacre de Carandiru, como secretário da Administração Penitenciária. Sem escrúpulos, planeja privatizar presídios paulistas para lucrar com o encarceramento da juventude negra, tornando tudo um negócio que garanta que os grandes empresários continuem bilionários enquanto a crise é depositada nas costas dos trabalhadores.

Junto a Bruno Covas, também tucano, planejou 7,5% de aumento pra tarifa de São Paulo (enquanto para os trabalhadores o aumento foi apenas de 4,6%). Para a população que ficou extremamente insatisfeita com seus ajustes absurdos na passagem e saiu para se manifestar, Dória ofereceu repressões repudiáveis com bombas, tiros à queima de roupas e prisões.

No último sábado, 19, o governador regulamentou uma lei de 2014 que endurece as regras para as manifestações e amplia o espaço para perseguições políticas, dando à polícia ainda mais motivos e poder para prender e reprimir. Além disso, ele promoveu o servidor Rodrigo da Silva Pimenta, envolvido na máfia da merenda e que admitiu ter cometido irregularidades, para chefiar com o salário triplicado o departamento que cuida de todas as licitações e fornecedores de escolas, inclusive a merenda. Dória também está com o plano de privatizar as linhas da CPTM, o que se liga com seu projeto de continuar os planos de Alckmin de privatizar as bilheterias para aumentar o lucro das empresas e enfraquecer e dividir a categoria dos metroviários.

Em 21 dias vieram uma série de medidas contra os trabalhadores e a juventude, onde o atual governador segue os mesmo passos de Bolsonaro como direitista e reacionário, e já mostra que está contra o povo pobre e os trabalhadores, disposto a reprimir com a policia toda a as manifestação e a população na periferia, principalmente a juventude negra. E depositar toda sua energia para descarregar a crise em suas costas enquanto garante o lucro dos patrões.




Tópicos relacionados

João Doria   /    PSDB   /    São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar