VAZA JATO

Vaza Jato: aliados do The Intercept clamam pela aprovação da reforma da Previdência

Os vazamentos do The Intercept se dão em meio a um dos maiores ataques à classe trabalhadora brasileira: a reforma da Previdência. Enquanto setores da esquerda transformam Glenn e o The Intercept numa espécie de salvador da luta contra os golpistas, nada fazem para barrar este ataque. Glenn, por sua vez, mostra que não tem problema nenhum em se aliar com setores da grande imprensa que foram parte central do golpe institucional e que são dos que mais vociferam pela reforma da Previdência: Veja, Folha e Reinaldo Azevedo.

quarta-feira 3 de julho| Edição do dia

Enquanto gera ilusão em setores progressistas com "vazamentos a conta-gotas" que só confirmam parte das denúncias que o Esquerda Diário e outros analistas já faziam há tempos, o The Intercept não deixa de prestar elogios à Lava Jato, como se a Vaza Jato viesse pra "salvá-la dos seus excessos", e não faz nenhuma denúncia global dessa operação imperialista que nunca teve a ver com luta contra a corrupção. Ao mesmo tempo, a nossa classe está refém da paralisia imposta pelas centrais sindicais e vê os ataques à sua condição de vida irem passando, com apoio de aliados do The Intercept, que presta o favor de fortalecer em setores progressistas essa imprensa golpista que segue querendo massacrar as condições de vida dos trabalhadores. Nós do Esquerda Diário seguiremos alertando contra esse distracionismo.

Leia também: Entre o MoroGate e atritos institucionais, avança a cruel reforma da previdência contra os trabalhadores

O vazamento das mensagens realizado pelo The Intercept deixou muita gente com a ilusão de que esse jornal pudesse ser um aliado na luta contra Moro, a Lava Jato, o governo Bolsonaro e contra todo o projeto do golpe institucional que inclui as reformas, privatizações e ataques de todo o tipo. Mas, tal como alertamos no Esquerda Diário, o Intercept está muito longe disso.

Financiado pelo bilionário do eBay, Pierre Omidyar, o portal The Intercept tem envolvimento direto com os interesses dos EUA na economia e na política brasileira, tal qual a Lava Jato.

Escolhendo aquilo que pode ser visto e aquilo que não lhes é interessante mostrar, não mostram mais do que muitos já sabiam: que a operação orquestrada por juízes, promotores e ministros do STF tinha intenções políticas desde seu início, mas oculta da população que essas intenções consistiam em retirar o PT do governo, pois já não conseguia aplicar os ataques na velocidade exigida pelo mercado internacional, e aprofundar a submissão da economia aos interesses do imperialismo, em especial dos EUA.

Folha de São Paulo e Veja, veículos aliados do The Intercept na divulgação das mensagens de Moro e da Lava Jato vazadas, são também fervorosos defensores da reforma da Previdência. Para estes, não se trata de derrotar o projeto do golpe.

Para a Folha de São Paulo, em editorial intitulado “Nova Previdência”, do dia 16/06: “Mais importante, neste momento, é que se faça um esforço para que a reforma tenha efeito orçamentário relevante e corrija iniquidades.”

Já para a Veja, em matéria intitulada “Fora da reforma da Previdência, estados e municípios podem falir”, do dia 28/06 (veiculada também na edição impressa): “Se aprovada em sua forma original, a PEC proposta pelo governo causaria impactos positivos em todo o país [...] Desafogar a Previdência significa abrir espaço para flexibilizar o orçamento e investir nas áreas mais importantes para a população, que são a educação, a saúde, a infraestrutura e a segurança pública.”

Não é um episódio oculto que, em evento em Vancouver, Glenn Greenwald – o jornalista dos EUA que comanda o site no Brasil – discursou em apoio aberto à operação comandada pelo ex-ministro Sérgio Moro: “o que podemos dizer sobre a força tarefa brasileira, a Lava Jato, é que eles definitivamente não foram perfeitos, mas que foram guiados por princípios e muito persistentes. E eles são realmente dedicados a essa ideia, de que eles querem mudar a sociedade de um modelo sistematicamente corrompido para um em que a lei prevalece, não importa se você é um garoto negro e pobre da favela ou um oligarca absurdamente rico (…) eu acho que eles encarnam muito bem essa virtude (…) ser dedicado a mudar o mundo”.

Ou seja, para além do The Intercept passar longe de questionar de conjunto a operação – que foi pilar do golpe institucional e que acarretou na manipulação das eleições do ano passado com a prisão arbitrária de Lula –, ainda mantém a tática de vazar as mensagens a “conta-gotas”, para desgastar principalmente a figura de Moro (mas que, como mostram as últimas mensagens vazadas, busca blindar os procuradores). Tendo Greenwald já reconhecido a existência de muito mais mensagens, vídeos e áudios, enfim, de um extenso material que coloca em cheque todo o acordo entre os procuradores, o ex-juiz, "com Supremo e com tudo", por que não liberam o conjunto das informações para que toda a população possa ter acesso?

Por que The Intercept não divulga tudo o que tem?

Em suma, estes veículos da grande mídia repetem em cada matéria, em cada página, as mesmas mentiras da propaganda do governo Bolsonaro, dos políticos e dos juízes que servem aos grandes empresários e ao agronegócio: a reforma da Previdência é necessária, pois quem quebra o país são os direitos dos trabalhadores e da população pobre. Nada de falar das empresas que devem R$450 bilhões à Previdência Social, das isenções fiscais de R$350 bilhões ao ano ou do roubo cotidiano por via de uma dívida pública ilegal, ilegítima e fraudulenta.

Nós, do Esquerda Diário e do MRT, apontamos qual o papel da Lava Jato: veio para implementar o golpe institucional, com o objetivo claro de alterar o regime brasileiro e a correlação de forças entre as classes, para assim destruir os direitos dos trabalhadores e da população, privatizar as riquezas nacionais, entregar as empresas públicas e aumentar os lucros das grandes empresas e bancos, especialmente estrangeiros. Se tratou, desde o início, de um enorme processo de manipulação e de autoridade judicial.

É por isso que é preciso ainda hoje exigir a liberdade imediata de Lula, sem que isso signifique apoio político ao PT, e encontrar aliados reais aos interesses dos trabalhadores, ao contrário do portal The Intercept. Precisamos de aliados que se coloquem o objetivo de desmascarar de uma só vez os objetivos golpistas de Dallagnol e de Moro, da mesma forma de apontar os interesses da casta política, do Judiciário e do mercado financeiro, gritando em alto e bom som que a reforma da Previdência é um violento golpe contra os trabalhadores e a juventude.




Tópicos relacionados

The Intercept   /    VazaJato   /    Operação Lava-Jato   /    Reforma da Previdência   /    Sérgio Moro

Comentários

Comentar