Educação

CRISE NA EDUCAÇÃO

Uma terça-feira de lutas na Unesp Araraquara

quarta-feira 25 de maio de 2016| Edição do dia

Essa terça-feira foi um dia atípico nas no Instituto de química e na Faculdade de Ciências Letras da Unesp Araraquara, os portões das duas unidades da Unesp amanheceram bloqueados pela manifestação da greve estudantil em curso há mais de uma semana e da paralisação orquestrada pela unidade local do Sintunesp (sindicato dos trabalhadores da Unesp). Numa demonstração de força e unidade movimento estudantil e sindical paralisaram completamente o funcionamento da FCL pela manhã e do Instituo de Química durante o dia todo.

Contra o arrocho salarial imposto pela reitoria que propõe apenas 3% de reajuste salarial com a galopante inflação que beira os 7% com ainda a ameaça de corte no vale alimentação e descumprimento dos acordos das seguidas greves de 2013 e 2014 os trabalhadores da Unesp Araraquara mais uma vez se levantaram contra a precarização de suas condições de trabalho, já os estudantes entre outras pautas reivindicam a contemplação de todos os alunos nas filas de espera por bolsas de permanência estudantil e auxílio econômico e auxilio aluguel somadas as filas chegam a quase duas centenas de estudantes sem condições de permanecer estudando.

É necessário um comando unificado de mobilização para coordenar as lutas dos estudantes e trabalhadores

A mobilização dessa terça-feira mostrou o potencial de luta unificada que os setores sub-representados da Unesp (trabalhadores e estudantes com apenas 15% de peso nas deliberações dos órgãos colegiados) mostrando que é possível um trancaço geral da universidade que não se efetuava desde a greve de 2007, por isso é necessário que tal experiência se expanda para um comando unificado permanente de trabalhadores e estudantes que pensem em como fortalecer a greve e unificar pautas, assim podendo as expandir e questionar pela raiz a estrutura de poder universitária e confrontar governos o golpista a nível federal e estadual que tem por projeto o desmonte e a privatização do ensino superior e básico.




Tópicos relacionados

Araraquara   /    Educação   /    Educação

Comentários

Comentar