Política

BRASILIA

Um conselhão para mexer no FGTS e sindicalistas vendidos louvarem o PT

sexta-feira 29 de janeiro de 2016| Edição do dia

Realizou-se nesta quinta-feira, 28 em Brasília a primeira reunião, depois de um ano e meio, o Chamado Conselhão, órgão criado em 2003,pelo então presidente Lula e, que até o ano passado era composto por 90 membros, entre eles Marcelo Odebrecht e Carlos Bumlai, ambos presos na Polícia Federal , envolvidos até à raiz dos cabelos na Operação Lava Jato. A realização dessa reunião se insere na tentativa do Governo Dilma, de propor uma agenda “propositiva”, isto é, longe dos casos de corrupção que surgem dia após dia.

Segundo o Diário Oficial da União, em sua edição da última quarta-feira dia 27, o atual Conselhão é composto por 92 membros de “ilibada” conduta, tendo sido renovado em 70%, se levarmos em conta os membros do anterior podemos imaginar que tipo de pessoas fazem parte desse organismo.

Robson Andrade (CNI), Cláudia Sender (TAM), Frederido Fleury (Embraer), Miguel Roberto Setúbal (Itaú), e Abílio Diniz (BRF) são alguns dos membros representantes dos empresários, gente ganhou muito dinheiro nos três governos petistas e que seguem enchendo os bolsos, como é o caso do Itaú que tem batido recorde em cima de recorde de lucros.

Por seu lado os trabalhadores estariam representados pelo Presidente da CUT Vagner Freitas e também pelo ex-presidente da Força Sindical Miguel Torres. Também compõem a UNE através de sua presidente Carina Vitral.

CUT, Força E UNE uma vergonha

Em sua fala o presidente da CUT Freitas declarou que : "nenhum lado sozinho resolve os problemas do País. Aqui estão os representantes dos setores que podem fazer a mudança". Por sua vez Torres da Força Sindical afirmou que: "juntos com os demais setores empresariais temos debatido propostas para enfrentar a crise”.
Esses senhores simplesmente “esquecem” que o governo Dilma vem realizando um brutal ataque aos direitos dos trabalhadores e do povo pobre em geral. De braços dados com os empresários que estão se aproveitando da crise, que nós trabalhadores não criamos, para jogar sobre nossos ombros o preço de um brutal ajuste econômico, que tem gerado milhares de desempregados e arrochado os salários, que se encontram corroídos pela inflação e pelos juros, que seguem subindo.
Por sua vez a presidente da UNE não fez um papel menos vexatório. Segundo Vitral foram os jovens que mais “lucraram com os governos petistas” e que: "é de fundamental importância a continuidade das políticas que valorizam as conquistas sociais". Com certeza não se refere a juventude que é a primeira vitima do desemprego, tendo índices bem mais altos de desocupação que os demais setores da sociedade, também não se refere a juventude negra e favelada que é assassinada pela policia de norte a sul do Brasil, ou das milhares de mulheres jovens que morrem por abortos clandestinos ou das muitas muitas mulheres que estão grávidas com filhos que terão microcefalia e que não tem direito ao aborto livre legal seguro e gratuito. Para esses setores com certeza os governos petistas que Vitral defende com unhas e dentes seguem marginalizados, oprimidos e explorados.

Ida a um keynesianismo ainda mais reduzido

Nelson Barbosa, ministro da Fazenda por sua vez afirmou que existe demanda de crédito: “Temos o desafio de normalizar o crédito no País para que possamos estabilizar e equilibrar a economia mais rapidamente”. Segundo o ministro sete medidas juntas teriam o potencial de colocar na economia a cifra de R$83 Bilhões, R$ 10 bilhões de crédito rural, via Banco do Brasil; R$ 10 bilhões para crédito habitacional, via FGTS; R$ 22 bilhões para infraestrutura (FGTS); R$ 5 bilhões para capital de giro para pequenas e médias empresas pelo BNDES; R$ 4 bilhões para exportações nas linhas de pré-embarque; R$ 15 bilhões com operações de refinanciamento do Finame e do PSI; e R$ 17 bilhões com operações de crédito consignado que usem os recursos do FGTS como garantia.

"Vamos autorizar que trabalhadores possam usar recursos do FGTS como garantias para operações de crédito. Hoje você tem recursos que podem ser usados para reduzir taxas de juros. Temos de usar eles de forma mais eficiente", defendeu. "Isso pode diminuir taxa de juros nessas operações.

Aqui se apresentam alguns problemas centrais na atual situação nacional. A primeira que as cifra em si, são bastantes diminutas, dado ao grau de desaceleração da economia, é pouco provável que esse montante pudesse realmente alavancar a cambaleante economia brasileira.

A segunda, ainda pior, versa sobre o uso de FGTS como garantia de empréstimos consignados. Essa medida nada mais fará que transferir dinheiro dos trabalhadores diretamente para os bolsos dos grandes bancos nacionais, fazendo com que esses lucrem ainda mais e que os trabalhadores percam essa reserva de valores, algo, criminoso em momentos de aumento do desemprego como o que estamos vivendo.

Não será desse Conselhão composto por um governo corrupto, empresários perdulários e sindicalistas vendidos, que virá qualquer solução para os problemas do país e dos trabalhadores e do povo pobre. É preciso superar estes sindicalistas que impediram o desenvolvimento de várias greves no ano passado que mostravam a disposição de luta dos trabalhadores em defesa de seus empregos e direitos. A superação desta burocracia é um passo necessário para erguer um necessário movimento para que não se mexa no FGTS, impeçamos a reforma da providência e defendamos os nossos empregos, salários e direitos.




Tópicos relacionados

Ajustes Fiscais   /    Brasília   /    Política

Comentários

Comentar