MAIO DE 1968 / AS CANÇÕES QUE CANTÁVAMOS NAQUELES ANOS / Nota n.3

Um cantor para a classe operária: Victor Jara

Gilson Dantas

Brasília

domingo 20 de maio| Edição do dia

Na nota anterior relembramos uma música de protesto e de combate que homenageava ao Che.

Voltemos ao seu autor, Victor Jara, só que agora pra um outro tipo de canção, que nos remete para um sentimento igualmente profundo.

Jara foi um líder da Nova canção chilena, foi próximo do PC e integrou o movimento estudantil. Ativista até o último segundo de sua vida, deu sua vida pela revolução proletária.

Ele defendia o resgate dos cantos dos povos indígenas, foi um apaixonado pela revolução socialista e viveu intensamente aqueles anos revolucionários no Chile de Allende [uma experiência de ascenso proletário, com base nos cordões industriais de Santiago, que o PC levou à derrota ao colocá-los a reboque do governo socialista de Salvador Allende.

Nossa canção de hoje é mais intimista e não menos profunda [Te recuerdo Amanda].

Amanda era o nome da mãe de Victor, de origem pobre e morta precocemente pelas más condições em que vivia; essa canção transcende absolutamente o a motivação de um filho ao recordar da sua mãe e do seu pai, operários. É um hino aos “cinco minutos”, àquele átomo de tempo, onde se transcende a rotina do trabalho escravo. E também aos “cinco minutos”, onde a vida de um operário entra para a história, para a eternidade, em luta por uma causa que igualmente transcende o cotidiano.

Mas também tem a ver com o fato, muito humano, tipicamente humano, de que a vida pode ser “eterna em cinco minutos”.

O próprio Victor Jara canta a versão original da música, você pode conferir no vídeo abaixo. Em seguida, a mesma canção pode ser ouvida pela voz inconfundível de Mercedes Sosa, nossos dois eternos cantantes de viagem, naqueles anos que seguem incendiando nossos corações, que, por sua vez, esperam ser faísca para outros brilhos, outros sonhos revolucionários e outras canções.

Victor Jara:

Com Mercedes Sosa:

Uma versão bem atual, um cantor andaluz:

Te Recuerdo Amanda
Victor Jara

Te recuerdo Amanda
lacallemojada
corriendo a la fabrica donde trabajaba Manuel
La sonrisa ancha, lalluviaenelpelo,
noimportaba nada
ibas a encontrarteconel,
conel, conel, conel, conel
Son cinco minutos
la vida es eterna,
en cinco minutos
Suenala sirena,
devuelta al trabajo
y tu caminandolo iluminas todo
los cinco minutos
te hacenflorecer
Te recuerdo Amanda
lacallemojada
corriendo a la fabrica
donde trabajaba Manuel
La sonrisa ancha
lalluviaenel pelo
noimportabanada,
ibas a encontrarteconel,
conel, conel, conel, conel
Que partió a lasierra
que nunca hizodaño,
quepartió a lasierra
y en cinco minutos,
quedódestrozado
Suenanlas sirenas
de vuelta al trabajo
muchos no volvieron
tampoco Manuel
Te recuerdoAmanda,
lacallemojada
corriendo a la fábrica,
donde trabajaba Manuel.




Tópicos relacionados

maio de 1968   /    Chile   /    Música

Comentários

Comentar