Cultura

POESIA

Um Suposto Marginal

terça-feira 3 de janeiro| Edição do dia

"Hoje em dia,
O jovem não quer saber de nada
Só quer saber de se armar
E assaltar toda a quebrada

Em vez de ir para a escola
Buscar uma vida melhor,
Prefere ir pra grupo
E tirar de quem conquistou com suor!"

Discurso típico
De uma mente alienada
Que busca se justificar
Através de desculpas esfarrapadas.

Mas aí vai a resposta
De um suposto marginal
Que representa uma massa
De opinião crucial:

"Ir à escola pra quê?
Se não tenho educação de qualidade.
A televisão mostra um mundão
Que está fora da minha realidade.

Ir à escola pra quê?
Se não tenho um verdadeiro incentivo
Minha sala nem tem porta
Quanto menos, um bom livro
Que inspire meus pensamentos
E me leve à outra dimensão
Que me faça refletir
E formar uma opinião
Opinião sincera
Opinião real
Mas, aos olhos do povo,
Eu, aqui, sou só "O Marginal"

Somos todos pobres
Somos todos loucos
Mas sair do senso comum
É difícil e para poucos

Falam sobre estudo
Como se fosse obrigação
Mas quando o suburbano passa em 1°
É motivo de espanto e admiração

Vêem o inteligente pobre
Como uma história linda de superação
Quando, na verdade, deveria ser vergonhoso
E motivo de indignação

Pensem um pouco comigo
Como um grande grupo que sonha:
Sermos 1 a cada 10
Não é motivo de vergonha?
É sim
E sempre vai ser
Prestigiam o inédito
E se esquecem de ver
Que o pobre é reconhecido
Ao se tornar o n°1
Quando, na verdade,
Estar entre os melhores deveria ser comum

Ficar madrugadas estudando
Para passar no vestibular
Deveria ser vergonhoso
E não de se admirar

Lutar para fazer a diferença
É um bom motivo de inspiração
Mas isso perde todo o valor
Quando não é feito por prazer,
E sim por obrigação."




Tópicos relacionados

Poesia   /    Cultura

Comentários

Comentar