Mundo Operário

USP

[URGENTE] Em meio ao coronavírus, empresas terceirizadas começam a demitir na USP

A crise do coronavírus escancara a crueldade da terceirização na USP. Além de muitos trabalhadores terceirizados serem obrigados a trabalhar se expondo ao contágio sem necessidade e com falta de EPIs, o Esquerda Diário recebeu a denúncia de pelo menos 10 demissões de trabalhadores pela empresa VL Terceirização Ltda, que presta serviço nos restaurantes universitários da Física e Central, nesta quarta-feira.

quarta-feira 1º de abril| Edição do dia

Na USP diversos setores foram ao longo de décadas sendo terceirizados. Hoje, a totalidade dos serviços de limpeza, além da vigilância e acesso, já são terceirizados. Nos restaurantes universitários, além de restaurantes já totalmente terceirizados como o bandejão da química e da prefeitura, setores como a sala de louça dos bandejões central e da física já contam com trabalhadores terceirizados dividindo o trabalho com os funcionários efetivos.

A diferença de direitos e de tratamento fica ainda mais escancarada quando no mesmo local de trabalho, exercendo a mesma função, uma parte dos trabalhadores ganham salários muito menores e não podem sequer comer a comida produzida pelos restaurantes. Com a troca da empresa terceirizada, que ocorre a cada nova licitação, muitos trabalhadores acabam sendo demitidos e recontratados pela nova empresa. No entanto, com a crise do coronavírus e a suspensão das atividades dos restaurantes, as empresas terceirizadas estão aproveitando para manter pouquíssimos funcionários e demitir outros para garantir lucros ainda maiores.

Essa postura é absurda, especialmente no momento onde já se multiplicam de forma exponencial os contaminados e mortos pelo coronavírus. Os trabalhadores que já estão expondo suas vidas agora se vêm sem seu sustento. A reitoria da USP não pode lavar as mãos nesse momento e precisa garantir que nenhum trabalhador seja demitido ou punido, ou tenha corte de salários enquanto essa crise durar, exigindo das empresas terceirizadas, que continuam recebendo o pagamento da USP, a manutenção dos salários e dos empregos. Os trabalhadores terceirizados não podem pagar por uma política privatista irresponsável da USP. Nenhuma demissão!

Veja aqui: Trabalhadoras terceirizadas da USP: Vão esperar até quando para liberar a gente? Quando tiver uma trabalhadora morta?




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Demissão   /    Terceirização   /    USP   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar