Mundo Operário

DEMISSÕES NA GM

Trabalhadores e jovens do MRT em apoio aos trabalhadores da GM: lutar para vencer as 517 demissões

sexta-feira 5 de fevereiro de 2016| Edição do dia

Nesta quinta feira, 4 de fevereiro, ocorreu na sede do sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos a assembleia dos trabalhadores da GM, sobre as demissões que lançarão mais de quinhentas famílias na rua, enquanto a empresa acumula lucros. Apesar de fabricar alguns dos carros mais vendidos do país, mesmo em meio à crise econômica, e ter repassado mais de 9 bilhões a seus acionistas. a GM já demitiu milhares de trabalhadores, e quer aumentar ainda mais esse número. Isso demonstra que a sede de lucro e a ganância desse monopólio imperialista não conhece limites. E para fazer frente a isso, é preciso organizar uma verdadeira batalha de classe, pois é disso que se trata. As demissões na GM são um ataque a todos os trabalhadores.

Por isso, parte fundamental para que seja conquistado o objetivo de barrar as 516 demissões, é uma campanha ativa e ampla em solidariedade aos trabalhadores da GM. Que envolva os demais setores de trabalhadores,como os da Mercedes Benz, que estão também com a faca da demissão no pescoço,. Mas não apenas. Que traga professores, trabalhadores de outras categorias do funcionalismo,e a juventude para fortalecer os trabalhadores da GM.

O MRT esteve presente com uma delegação formada por Bruno Gilga representando o Sindicato dos Trabalhadores da USP (SINTUSP), Danilo Magrão diretor da APEOESP pela corrente Professores Pela Base Oposição Alternativa, metroviários, membros do CAELL – USP, secundaristas da Zona Oeste, Mariana Vilas Boas representando o CAPPF - USP,Tatiana representando o CACH - Unicamp e professores.

Em sua fala na assembleia, Bruno Gilga, da diretoria do SINTUSP reforçlou o apoio e afirmou que "A revista Exame publicou há pouco tempo que só no terceiro trimestre do ano passado a GM aumentou seu lucro em 305%. (...) E com tudo isso a GM alega crise, queda nas vendas e quer dar como resposta a demissão em massa, cotrazmo já vem fazendo. Frente a isso o SINTUSP traz todo o apoio aos companheiros e companheiras.(...). Nós também somos alvo da mesma desculpa, de que o estado está passando por uma crise, e de que tem que fazer cortes. Nos vemos que não podemos aceitar isso. E que temos que lutar e fortalecer a nossa organização. (...) Estamos contra essa demissão em massa, que acontece com o apoio do governo federal e do governo do estado. (...) Apoiaremos todas as medidas de luta que os trabalhadores da GM tomarem".

Apoiamos esta luta e colocamos a disposição nossas forças para que o conflito triunfe, pois entendemos que é uma batalha que pode servir de exemplo para todos os trabalhadores do Brasil que estão se enfrentando contra as demissões dos patrões e o ajuste fiscal do governo. È fundamental forjar uma alternativa independente dos trabalhadores contra a CUT, Força Sindical e CTB que apoiam o PPE e que fazem acordo com os empresários como ocorreu no chamado ‘’conselhão’’.

O MRT e o Esquerda Diário estão apoiando esta luta, organizando panfletagens na porta da GM mas também denunciando o lucro e agora com uma sessão de fotos em apoio aos trabalhadores demitido. Chamamos os centros acadêmicos, DCE’S, grêmios estudantis, intelectuais de esquerda e sindicatos em que a esquerda dirigida para fazer uma forte campanha para reverter as demissões que estão colocada.




Tópicos relacionados

Abaixo as demissões da GM   /    Greve da GM   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar