Sociedade

SAÚDE RIO

Trabalhadores da saúde em luta contra Crivella no Rio de Janeiro

terça-feira 14 de novembro| Edição do dia

Trabalhadores da saúde em marcha até a Candelária no dia 10/11

Ontem, (13/11) foi dia de muita luta dos trabalhadores da saúde do município do Rio de Janeiro. Técnicos e médicos estão em greve desde o dia 22 de outubro, vieram se mobilizando descentralizadamente em todos os pontos da cidade desde então e na manhã desta segunda realizaram o quarto grande protesto conjunto da categoria desde o início do governo do bispo Marcelo Crivella, há 11 meses.


Foto "O Globo": Manifestação no centro de saúde no Catete

As queixas mostram o nível de precarização que a saúde do Rio sofre "salários atrasados, fechamento de unidades básicas de saúde, demissão em massa e condições de trabalho inaceitáveis".

Segundo a Associação dos Médicos de Família e Comunidade do Estado do Rio (Amfac-RJ), que foi quem organizou o protesto, os atos aconteceram em 32 locais da cidade do Rio, como ilustrado no mapa abaixo.

No dia 10/11, que foi convocado como dia nacional de mobilização, os trabalhadores da saúde do Rio também foram as ruas, e antes da concentração geral com outras categorias, realizaram um ato próprio, com centenas em frente a prefeitura para denunciar e exigir uma resposta do bispo-prefeito, Marcelo Crivella. Os relatos do descaso com a saúde publica são impressionantes, confiram nos vídeos à seguir:

Já está claro que as pessoas que o prefeito do Rio prometeu cuidar não são os trabalhadores do município, muito menos a população que sofre com a falta de atendimento nas clínicas da família e postos de saúde. São inúmeros os casos de favorecimento de familiares, amigos da Igreja Universal, denúncias de que espaços e até mesmo o dinheiro publico do município estariam sendo usados para favorecer a Igreja Universal. Tudo isso tem causado muito revolta.

A população carioca e fluminense que sangra com a crise não suporta mais ver políticos e empresários demagogos e corruptos levando a cidade ao abismo do desemprego e e descaso dos serviços públicos. São denuncias e mais denúncias de corrupção, prisões, e uma negligência que é proposital, querem sucatear completamente a saúde, a educação publica para privatizar tudo. Querem fazer como no transporte, onde a família Barata que é dona de tudo lucra milhões enquanto a população simplesmente não consegue chegar aos lugares.

Mas não fomos nós trabalhadores que criamos essa crise, e não seremos nós a pagar por ela. A luta dos trabalhadores da saúde é um exemplo de resistência de como podemos enfrentar governos e os empresários que lucram com nosso sofrimento. Todo apoio e solidariedade aos trabalhadores da saúde! Que os capitalistas e políticos corruptos paguem por essa crise!




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Saúde Mental   /    Sociedade   /    Saúde   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar